aids 

Photograph
A AIDS Memorial Quilt é uma colcha de retalhos que vai sendo costurada, retalho a retalho, …
Lee Snider/Corbis
Projetos na Área de Pesquisa

A aids (abreviatura do nome da síndrome em inglês, Acquired Immunodeficiency Syndrome) é uma doença séria. (Também pode ser chamada pela abreviatura do nome da síndrome em português, “sida”.) Milhões de pessoas morreram de aids desde os anos 1980 e sua cura ainda não foi descoberta. Porém hoje ela é tratada com eficácia.

A aids (abreviatura do nome da síndrome em inglês, Acquired Immunodeficiency Syndrome) é uma doença séria. (Também pode ser chamada pela abreviatura do nome da síndrome em português, “sida”.) Milhões de pessoas morreram de aids desde os anos 1980 e sua cura ainda não foi descoberta. Porém hoje ela é tratada com eficácia.

Causas

Pequenas partículas chamadas vírus causam muitas doenças, inclusive a aids. O nome do vírus causador da aids é “vírus da imunodeficiência humana” (HIV, sigla da expressão em inglês, human immunodeficiency virus). O HIV entra no corpo de várias maneiras: pelo contato sexual com pessoas infectadas, por transfusão de sangue contaminado, de mãe infectada para o bebê na gestação e na amamentação ou através de agulhas contaminadas. Por isso, tossir, espirrar ou dar a mão a alguém, mesmo que essa pessoa esteja com aids, não contamina ninguém com esse vírus.

O corpo humano tem defesas naturais chamadas glóbulos brancos, que protegem o organismo de doenças. Uma dessas defesas é o linfócito T auxiliar, que reconhece o vírus e estimula outro tipo de célula branca, o linfócito B, a fazer os anticorpos, que são específicos para combater cada tipo de vírus. Todas essas células fazem parte do sistema imunológico, e o HIV mata justamente o linfócito T auxiliar, impedindo o corpo de produzir anticorpos, já que os linfócitos B não são estimulados e, dessa maneira, o corpo fica suscetível a qualquer doença.

Sintomas

Muitas vezes não há sintomas, e em alguns casos pode ocorrer algo parecido com uma gripe, que dura uma ou duas semanas. Dessa forma, a pessoa pode ficar anos sem mostrar sinais da doença ou mesmo nem saber que está infectada. O problema é que essa pessoa, mesmo não sabendo que tem aids, pode transmitir o vírus a outras pessoas.

Na maioria dos casos, e depois de algum tempo com o HIV no corpo, as pessoas infectadas acabam desenvolvendo outras infecções, pegando uma série de doenças. Nesse momento, a pessoa recorre ao médico e o diagnóstico é de aids.

As infecções mais comuns são a tuberculose e um certo tipo de pneumonia. Além disso, pessoas com aids desenvolvem em geral também um câncer chamado sarcoma de Kaposi, que se apresenta na forma de manchas avermelhadas pelo corpo. O HIV pode ainda atacar o sistema nervoso e causar danos na visão ou no cérebro. Antes de se descobrirem formas de tratamento, a taxa de mortalidade era muito alta, mas nos últimos anos as pessoas com aids têm conseguido levar uma vida normal, quando mantêm uma medicação constante.

Prevenção e tratamento

As pessoas podem se prevenir contra a aids evitando o contato com sangue contaminado com o HIV e usando preservativos nas relações sexuais.

Se uma pessoa for infectada, alguns medicamentos podem impedir que o HIV se propague, o que aumenta o tempo de vida dessas pessoas.