Bíblia 

Photograph
Ilustração de uma Bíblia do século XIX mostrando o resgate de …
© Historical Picture Archive/Corbis
Photograph
A chamada Bíblia de Gutenberg, datada de 1455, é considerada o primeiro livro …
Imagebroker.net/Superstock
Photograph
Imagem retirada de uma Bíblia do século XII, mostrando a criação de …
M. Seemuller/DeA Picture Library
Projetos na Área de Pesquisa

A Bíblia é um livro importante para os judeus e para os cristãos. A Bíblia do judaísmo não é idêntica à Bíblia do cristianismo, embora as duas compartilhem a maioria dos textos. Os livros da Bíblia foram escritos ao longo de séculos e por muitos autores diferentes.

A Bíblia é um livro importante para os judeus e para os cristãos. A Bíblia do judaísmo não é idêntica à Bíblia do cristianismo, embora as duas compartilhem a maioria dos textos. Os livros da Bíblia foram escritos ao longo de séculos e por muitos autores diferentes.

A Bíblia do judaísmo

A Bíblia judaica (ou Bíblia hebraica) trata das experiências religiosas da antiga nação de Israel. Foi escrita entre cerca de 1200 a.C. e 100 a.C., principalmente em hebraico. Ela contém 24 livros divididos em três seções: a Lei, os Profetas e os Escritos.

Os primeiros cinco livros são: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Juntos, são conhecidos como a Lei porque explicam e interpretam as leis de Deus. Além disso, relatam como Israel antigo tornou-se uma nação e chegou à posse da terra prometida. Esses cinco livros também são chamados de Torá (pelos judeus) ou Pentateuco (pelos cristãos).

Os livros dos Profetas contêm mensagens dos profetas, pessoas do antigo Israel que falavam à nação em nome de Deus. Também narram a história antiga dos judeus.

A seção dos Escritos abrange livros diversos contendo poesia, narrativas, história e outros tipos de literatura. Um deles é o livro dos Salmos, uma coletânea de canções e poemas sagrados de diversos períodos da história de Israel. Os outros Escritos usam ditados e histórias para transmitir às pessoas ensinamentos sobre o comportamento correto.

A Bíblia do cristianismo

A Bíblia cristã é composta de duas partes: o Antigo Testamento e o Novo Testamento. O Antigo Testamento é muito semelhante à Bíblia judaica, mas os livros são organizados de modo um pouco diferente.

Nem todas as bíblias cristãs são exatamente iguais. Além dos 39 livros do Antigo Testamento cristão, a Igreja Católica e a Ortodoxa incluem alguns livros que não são aceitos pelos protestantes; esses livros são conhecidos como apócrifos ou deuterocanônicos. A Bíblia judaica tampouco contém os livros apócrifos.

Os cristãos criaram o Novo Testamento após a morte de Jesus para ajudar a difundir a mensagem dele para o mundo. Acredita-se que o Novo Testamento tenha sido escrito entre aproximadamente 50 d.C. e 150 d.C. Ele tem quatro seções: os Evangelhos, os Atos dos Apóstolos, as Epístolas (cartas) e o Apocalipse.

Os quatro livros chamados Evangelhos tratam da vida e dos ensinamentos de Jesus. Acredita-se que cada um deles tenha sido escrito por um entre os seguidores mais próximos de Jesus: São Mateus, São Marcos, São Lucas e São João.

Os Atos dos Apóstolos relatam a história dos primórdios da Igreja e de seus mensageiros (os apóstolos) após a morte de Jesus.

As Epístolas são cartas contendo conselhos e orientações. A maioria delas foi escrita por São Paulo. Todas as cartas foram copiadas posteriormente e difundidas entre as igrejas no Império Romano para oferecer aos fiéis soluções para problemas das igrejas locais e orientações sobre como viver uma vida cristã. As cartas também ofereciam interpretações dos Evangelhos.

O livro do Apocalipse descreve o fim do mundo e os acontecimentos que o antecedem. Ele transmite uma mensagem de esperança aos cristãos, aconselhando-os a ater-se à fé em situações difíceis, porque o Reino de Deus está próximo.