Europa 

Map/Still
Europa
Encyclopædia Britannica, Inc.
Photograph
Na Europa ainda é possível encontrar muitos castelos antigos. Este é o Ninho …
Lonely__—iStock/Thinkstock
Projetos na Área de Pesquisa

A Europa é um dos continentes da Terra. Ela é formada por dezenas de países e abriga uma grande diversidade geográfica, ambiental e cultural.

A Europa é um dos continentes da Terra. Ela é formada por dezenas de países e abriga uma grande diversidade geográfica, ambiental e cultural.

Solo e clima

Photograph
Há muitos fiordes na Noruega, um país do norte da Europa. Fiordes são …
Zoonar RF/Thinkstock
Photograph
Vista de Budapeste, capital da Hungria, atravessada pelo rio Danúbio. Além da …
© timiskim/Fotolia
Photograph
Paisagem de inverno nos montes Urais, na Rússia.
© savenkov/Shutterstock.com

A Europa praticamente não possui nenhum deserto, e uma vasta área de suas terras é própria para cultivo. Mais da metade do seu território consiste em extensas planícies. Em algumas áreas do norte, as geleiras deram origem a uma paisagem rochosa. O sul é banhado pelo mar Mediterrâneo.

As montanhas mais altas estão localizadas no sul. As escarpas dos Alpes dominam o centro-sul do continente; os Pireneus formam uma barreira alta entre a Espanha e a França. O limite leste da Europa é formado pelos montes Urais — cadeia montanhosa de baixa altitude que se estende pela Rússia, de norte a sul. (A Rússia ocidental faz parte da Europa e a Rússia oriental se estende pelo norte da Ásia.)

A Europa tem muitos rios, mas poucos lagos grandes. Entre os principais rios destacam-se o Reno, o Sena e o Ródano (no oeste), o Douro e o Tejo (no sudoeste), o Pó (no sul), e o Danúbio, o Elba, o Oder, o Vístula, o Volga e o Don (no centro e no leste).

A maior parte da Europa Ocidental tem clima temperado e úmido, enquanto na Europa oriental os invernos são frios e os verões são quentes, especialmente no sudeste. O inverno pode ser longo e muito frio no extremo norte europeu. Os países próximos ao Mediterrâneo têm verões quentes e secos e invernos amenos.

Flora e fauna

Photograph
As renas são um dos animais que habitam a Finlândia.
© 3355m/Fotolia
Photograph
Oliveiras na Sicília, Itália.
© anna/Fotolia

Florestas perenes de pinheiros, abetos e lariços cobrem trechos do norte e do nordeste. No sudeste há áreas de pastagens para animais. Na região mediterrânea, encontram-se árvores que não precisam de muita água, como as oliveiras (cujo fruto é a azeitona) e os ciprestes. A Europa já foi uma vasta floresta, que hoje está praticamente extinta. Ao longo dos séculos, as árvores foram sendo derrubadas para dar lugar à agricultura e a outras atividades humanas.

Antigamente havia muitos animais grandes na Europa, inclusive leões, mas eles desapareceram devido à interferência humana. O lobo e o castor sobreviveram apenas em poucas áreas remotas. A quantidade de bisões também diminuiu bastante ao longo do tempo. A rena habita o norte da Europa.

Povos

Photograph
Mulheres tocam castanholas em Valência, na Espanha. A dança com castanholas é …
© Annavee/Shutterstock.com
Photograph
Pessoas aproveitam um dia de Sol na praça Kornmarkt, em Heidelberg, na Alemanha.
© Heidelberger Kongress und Tourismus GmbH
Photograph
Crianças e adultos da Irlanda celebrando o Saint Patrick’s Day (Dia de São …
Tourism Ireland
Photograph
Azulejos enfeitam a fachada de uma casa na cidade portuguesa de Algarve. Os azulejos são um …
AnnaDudek—iStock/Thinkstock

A maioria dos europeus atuais descende de antigos povos do próprio continente, embora alguns tenham raízes africanas ou asiáticas. A grande maioria da população fala algum idioma latino (como português, espanhol, italiano, francês e romeno), germânico (alemão, inglês e línguas escandinavas) ou eslavo (russo, polonês, tcheco etc.).

As religiões cristãs predominam em quase toda a Europa. A maioria dos portugueses, espanhóis, italianos, franceses, irlandeses, austríacos, húngaros, poloneses e belgas é católica. O protestantismo predomina na Escandinávia, no Reino Unido e nos Países Baixos. A Alemanha é metade católica e metade protestante. Os cristãos ortodoxos predominam na Grécia, na Rússia e em outros países do leste e do sul.

judeus em toda a Europa, embora seu número tenha diminuído muito durante a Segunda Guerra Mundial, devido à perseguição feita pela Alemanha nazista. Presentes em muitos países europeus, os muçulmanos formam a maioria da população na Albânia, na Bósnia e Herzegovina e na Turquia.

A Europa é líder mundial nas áreas da educação e da saúde. Em geral, os governos europeus dão assistência médica gratuita a todos os cidadãos e, em média, os europeus têm mais longevidade que os povos de vários outros continentes.

Economia

Photograph
Usina elétrica e mina de carvão em Belchatów, na Polônia.
Stasisław
Photograph
Vinhedo na região de Bordeaux, na França. Na maior parte da Europa, a agricultura tem …
© Adam & Chelsey Parrott-Sheffer
Photograph
Praga, a capital da República Tcheca, atrai muitos turistas.
© Goodshoot/Jupiterimages

A economia de muitas nações europeias baseia-se sobretudo nos serviços, como comércio, turismo, finanças, seguros e navegação mercante. A produção de bens também é muito importante, sendo a Europa uma das regiões mais industrializadas do mundo. As fábricas produzem máquinas, produtos químicos e de metal, tecidos, medicamentos e uma grande variedade de outros artigos.

A Europa ocidental tem as indústrias mais altamente desenvolvidas. O sul da Europa é a região menos industrializada do continente. Entre os minérios extraídos estão ferro, cobre, zinco, carvão, chumbo, alumínio, mercúrio, titânio, potassa e enxofre.

Na maior parte da Europa a agricultura tem menos peso econômico que os serviços e a indústria. As fazendas, porém, são muito produtivas. O continente é um grande produtor de cereais, de raízes, de óleos comestíveis, de fibras, de frutas e de gado. Além disso, exporta a maior parte do centeio, mais da metade da aveia e mais de um terço das batatas e do trigo consumidos no mundo.

História

Photograph
Ruínas do Partenon, templo grego construído no século V a.C. A …
© Goodshoot/Jupiterimages
Photograph
Durante a época do feudalismo na Europa, os camponeses eram quase escravos. Nesta pintura, …
Bettmann/Corbis
Photograph
Ilustração do século XV mostrando cavaleiros se preparando para uma das …
© Photos.com/Thinkstock
Photograph
A bandeira nazista tremula no alto do Arco do Triunfo durante a ocupação alemã …
© Photos.com/Jupiterimages

A civilização europeia surgiu na Grécia antiga. Os gregos desenvolveram ideias sobre governo, filosofia, artes e ciências que foram adotadas por diversas sociedades posteriores. Segundo a tradição, a cidade de Roma (hoje capital da Itália) foi fundada em 753 a.C. Cerca de setecentos anos depois, Roma controlava um vasto império. Os romanos conquistaram a Grécia e disseminaram muitos aspectos da cultura grega.

A partir do século IV, os romanos difundiram o cristianismo, que havia se desenvolvido no Oriente Médio. Nessa época, a capital do Império Romano havia sido transferida para Constantinopla (atual Istambul, capital da Turquia). No final do século IV, o império foi dividido em duas partes: o Império Romano do Ocidente, com capital em Roma, e o Império Romano do Oriente, cuja capital se chamou inicialmente Nova Roma e logo mudou de nome para Constantinopla.

Com a invasão dos bárbaros, vindos do leste europeu, o Império Romano do Ocidente chegou ao fim no ano de 476. Teve início então a Idade Média, que durou aproximadamente até o ano 1500. Com a queda de Roma, o sistema de governo centralizado na capital do império foi substituído pelo sistema feudal de governos locais. Os senhores de cada região governavam os chamados vassalos, que, por sua vez, dominavam os camponeses, os quais eram pouco mais do que escravos.

Entre os séculos VIII e IX, o rei Carlos Magno criou um novo império, considerado então um recomeço do Império Romano. Nos séculos seguintes, parte de seus domínios se tornou o Sacro Império Romano-Germânico, que por sua vez deu origem a muitas nações da Europa atual.

A Idade Média foi uma época de profunda crença religiosa. Em 1054 houve uma cisão entre os cristãos. Além da Igreja Católica, sediada em Roma, foi criada a Igreja Ortodoxa, na Europa oriental. A partir de 1095, cavaleiros cristãos empreenderam uma série de guerras, conhecidas como Cruzadas, contra os muçulmanos do Oriente Médio, para tentar retomar a Terra Santa, que havia sido invadida pelos árabes.

Os séculos XV e XVI abrangeram um período de florescimento artístico e intelectual conhecido como Renascimento. No século XVI aconteceu a chamada Reforma, da qual surgiu a religião protestante. No século XVIII, o movimento francês conhecido como Iluminismo enfatizou a importância do raciocínio e do pensamento científico. Suas ideias ajudaram a impulsionar a Revolução Francesa (1789), que derrubou a monarquia e contribuiu para difundir a democracia e a igualdade política no mundo.

Iniciada na Inglaterra no século XVIII, a Revolução Industrial mudou a maneira como as pessoas trabalhavam e viviam, pois introduziu máquinas que facilitavam a produção de bens. Além disso, vários países europeus fundaram grandes impérios no exterior. Tornando-se rica com suas indústrias e colônias, a Europa passou a dominar grande parte do mundo.

A primeira metade do século XX presenciou duas guerras mundiais. Ambas começaram na Europa, tendo a Alemanha e seus aliados em luta contra outros países ocidentais. Os dois conflitos causaram imensa destruição e grande perda de vidas. Na Segunda Guerra Mundial (1939–45), Adolf Hitler e seu Partido Nazista causaram imenso sofrimento a milhões de pessoas.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, a maioria das nações europeias dividiu-se entre os países comunistas da Europa oriental, liderados pela União Soviética, e as democracias capitalistas da Europa ocidental. No início da década de 1990, a União Soviética se desintegrou e os países que a compunham ganharam autonomia, adotando sistemas democráticos.

A partir de meados do século XX, os países da Europa ocidental criaram várias organizações visando à unificação econômica e política. Em 1993, foi criada a União Europeia (UE). No final do século XX, a maioria dos países da Europa ocidental fazia parte da UE, e várias nações da Europa oriental aderiram a ela no início do século XXI.