Estados Unidos 

Map/Still

Encyclopædia Britannica, Inc.
Photograph
Vista noturna de Washington, D.C., com o monumento Lincoln Memorial em primeiro plano, o obelisco …
SuperStock
Photograph
Campos de cultivo dispostos em forma de tabuleiro de xadrez, no estado do Kansas, nos Estados …
Grant Heilman Photography
Photograph
A cidade americana de Chicago fica às margens do lago Michigan, um dos cinco grandes lagos …
Hisham F. Ibrahim/Getty Images
Photograph
A cachoeira de Screw Auger, no estado do Maine, é uma atração da cadeia …
© George Wuerthner
Flag
Bandeira dos Estados Unidos da América
Audio
Versão instrumental do hino nacional dos Estados Unidos da América.
Projetos na Área de Pesquisa

Fundados em 1776, os Estados Unidos da América (EUA) são novos se comparados a muitos outros países. Mesmo assim, no século XX, já tinham se transformado em uma potência mundial. Sua capital é a cidade de Washington, D.C.. Os Estados Unidos ocupam uma área de 9.833.634 km2, em que vivem 321.634.000 habitantes (estimativa de 2014).

Fundados em 1776, os Estados Unidos da América (EUA) são novos se comparados a muitos outros países. Mesmo assim, no século XX, já tinham se transformado em uma potência mundial. Sua capital é a cidade de Washington, D.C.. Os Estados Unidos ocupam uma área de 9.833.634 km2, em que vivem 321.634.000 habitantes (estimativa de 2014).

Geografia

Os Estados Unidos são o quarto maior país do mundo (vindo depois da Rússia, do Canadá e da China). Estendem-se de um lado a outro da América do Norte, tendo o oceano Atlântico a leste e o oceano Pacífico a oeste. O país é formado por cinquenta estados e pelo Distrito de Colúmbia (o distrito federal, em que fica a capital do país, Washington, D.C.). Quarenta e oito estados ficam entre o Canadá, ao norte, e o México e o golfo do México, ao sul. O 49° estado, o Alasca, fica a noroeste do Canadá; o 50° estado é o Havaí, um grupo de ilhas no oceano Pacífico.

A paisagem dos Estados Unidos varia de montanhas escarpadas a pradarias planas, de florestas temperadas a desertos secos. A área montanhosa inclui as montanhas Rochosas e a serra Nevada, no oeste, e os montes Apalaches, no leste. Entre essas duas cadeias de montanhas existe uma vasta região de terras baixas, que incluem as chamadas Grandes Planícies. O ponto mais alto do país é o monte Denali (também conhecido como monte McKinley), no Alasca, com 6.190 metros de altura. O ponto mais baixo é o vale da Morte, no deserto da Califórnia, que fica 86 metros abaixo do nível do mar.

Os Estados Unidos têm alguns dos maiores rios e lagos navegáveis do mundo. Os rios mais longos são o Mississípi e o Missouri. Eles se unem no meio do país e, combinados, têm 5.971 quilômetros de comprimento. Os cinco Grandes Lagos formam a maior área de massas de água doce interligadas do planeta.

O clima dos Estados Unidos é variado. Vai do frio ártico, no Alasca, ao calor tropical, no Havaí e no sul da Flórida.

Flora e fauna

As florestas do leste dos Estados Unidos têm pinheiros, cicutas, carvalhos, nogueiras, bétulas e bordos. As florestas de pinheiros, abetos e abetos-vermelhos são comuns nas montanhas Rochosas e ao longo da costa do Pacífico. Pradarias (campos) cobrem grande parte das planícies centrais. Artemísias, iúcas e cactos são comuns nos desertos do sudoeste do país.

Os animais da floresta incluem ursos, alces, veados, raposas, linces, castores e gambás. Coiotes, cães-da-pradaria, coelhos e alguns bisões vivem nas pradarias. Animais do deserto incluem cobras, lagartos, escorpiões e papa-léguas.

População

A população dos Estados Unidos foi formada por pessoas de diferentes ascendências. Os brancos representam cerca de 70 por cento da população. Eles têm raízes na Grã-Bretanha, na Irlanda, na Alemanha, na Itália, na Polônia, na Rússia, na Suécia e em outros países da Europa. As duas principais minorias são os negros afrodescendentes e os latino-americanos. Asiáticos, nativos das ilhas do Pacífico e índios americanos compõem grupos menores. A maior parte dos americanos fala o inglês, mas muitos usam o espanhol por causa da grande população oriunda da América Latina.

Mais de 80 por cento da população é cristã. Os protestantes são o maior grupo, seguidos pelos católicos. Outros grupos praticam o judaísmo, o islamismo, o budismo e o hinduísmo.

Mais de 75 por cento da população vive em núcleos urbanos ou perto deles. Nova York é a maior cidade da Costa Leste, além de ser uma das maiores metrópoles do mundo. Los Angeles, na Califórnia, e Chicago, em Illinois, são outras grandes cidades do país.

Economia

Os Estados Unidos têm uma das economias mais poderosas do mundo. As indústrias representam grande parte dessa economia, que também inclui serviços financeiros, cuidados com a saúde, educação e turismo. Há grandes fabricantes de produtos de ferro e de aço, de produtos químicos e eletrônicos, bem como de veículos, aviões e alimentos.

Os Estados Unidos são ricos em recursos naturais. Produzem milho, soja, aveia, algodão e muitos outros produtos que são exportados para o mundo todo. O país está entre os principais produtores de vários minerais, entre eles cobre, prata, zinco, ouro, carvão, petróleo e gás natural. A silvicultura e a pesca também são atividades importantes.

História

Os primeiros habitantes foram os nativos americanos, ou índios, que provavelmente vieram da Ásia há cerca de 60 mil anos. Até o século XV existiam aproximadamente duzentas tribos indígenas diferentes vivendo no território que depois se tornou os Estados Unidos.

A história da América mudou com a chegada ao continente de Cristóvão Colombo, em 1492. Depois de Colombo, muitos outros exploradores e colonos vieram da Europa. Os nativos sofreram; alguns morreram de doenças transmitidas pelos europeus e outros morreram lutando contra eles.

As colônias

Photograph
Jamestown, a primeira colônia inglesa permanente na América do Norte, foi …
MPI/Hulton Archive/Getty Images

O primeiro lugar em que os europeus se instalaram no território dos atuais Estados Unidos foi a cidade de Saint Augustine, na Flórida. Ela foi construída pelos espanhóis em 1565. A Flórida e o atual sul dos Estados Unidos se tornaram colônias espanholas a partir de então. Ingleses, franceses e holandeses também estabeleceram colônias em locais próximos.

Os ingleses fundaram sua primeira colônia estável na América do Norte em 1607, em Jamestown, na região que depois se tornou o estado da Virgínia. Fundaram também outras cidades e tomaram colônias dos holandeses. Depois de algum tempo, eram treze as colônias inglesas na costa americana do Atlântico.

Em 1700, cerca de 250 mil pessoas viviam nessas treze colônias. Até 1760, sua população era de cerca de 1,7 milhão de habitantes. Muitos africanos foram trazidos para trabalhar como escravos, especialmente no sul.

A Guerra de Independência

Photograph
Soldados britânicos (com casacos vermelhos) durante o Grande Incêndio de Nova York em …
Library of Congress, Washington, D.C. (cph 3b48304)

Nos anos 1760, o governo britânico começou a apertar o controle sobre as colônias. O parlamento britânico forçou os colonos a pagar novos impostos. Eles protestaram, e a tensão cresceu.

Em 1775 estourou um conflito entre os colonos e as forças britânicas, dando início à Guerra de Independência dos Estados Unidos, também chamada de Revolução Americana. Em 4 de julho de 1776, os colonos aprovaram a Declaração de Independência, que transformou as colônias no país que recebeu o nome de Estados Unidos da América. Mas a Guerra de Independência continuou, até que a Inglaterra se rendeu, em 1781. Em 1783, os ingleses assinaram um tratado reconhecendo a independência dos Estados Unidos.

O novo país

Em 1787, representantes dos estados se reuniram na cidade de Filadélfia, no estado da Pensilvânia, e produziram um documento que delineou um novo governo. Esse documento era a Constituição americana. Ela foi efetivada em 1789, e George Washington se tornou o primeiro presidente do país.

Os Estados Unidos logo começaram a crescer. Em 1803, o presidente Thomas Jefferson adquiriu a Luisiana da França e, em 1819, os Estados Unidos compraram a Flórida da Espanha.

O Texas se separou do México e se tornou um estado americano em 1845. Os Estados Unidos e o México não entraram em acordo em relação à fronteira do Texas e, em 1846, os dois países entraram em guerra. A Guerra do México durou até 1848. Os Estados Unidos venceram o México e incorporaram o estado da Califórnia e o restante da região sudoeste, que até então eram território mexicano.

Guerra civil e reconstrução

Na metade do século XIX, a escravidão dividiu os Estados Unidos. No sul, as fazendas dependiam de trabalho escravo, mas muitos estados do norte eram contra a escravidão. Em 1860, Abraham Lincoln foi eleito presidente. Seu partido, o Republicano, se opunha à escravização de pessoas. Por isso, os estados do sul decidiram se separar do resto do país e formaram os Estados Confederados da América, ou Confederação.

Em 1861 começou o conflito entre o governo americano, chamado de União, e os Confederados. Essa guerra civil foi chamada de Guerra de Secessão dos Estados Unidos e terminou em 1865, quando o comandante dos Confederados, o general Robert E. Lee, se rendeu. Logo depois da guerra civil, os líderes vencedores aprovaram várias leis para punir os estados do Sul. Esse periodo, chamado de Reconstrução, também foi difícil para a comunidade negra. Mesmo com o fim da escravidão, eles continuaram na pobreza.

Crescimento do país

No fim do século XIX, a população dos Estados Unidos viveu um forte crescimento com a chegada de mais imigrantes europeus e com a Revolução Industrial. Entre 1880 e 1890, a produção industrial do país mais do que dobrou. Nessa época também o território dos Estados Unidos se estendeu para regiões distantes. Por um lado, por meio de guerras e tratados, o governo e as comunidades de brancos forçaram os nativos a sair de seus terriórios para serem instalados em reservas indígenas. Por outro, o país comprou o Alasca da Rússia, em 1867, e tomou posse do Havaí, em 1898. Também em 1898, os Estados Unidos derrotaram a Espanha na Guerra Hispano-Americana e tomaram posse das colônias espanholas de Porto Rico (na América Central), de Guam (na Oceania) e das Filipinas (arquipélago da Ásia), tornando-se uma potência mundial.

As guerras mundiais e a Depressão

Em 1914, teve início a Primeira Guerra Mundial na Europa. Os Estados Unidos entraram na guerra em 1917, ao lado dos Aliados, que a venceram em 1918.

Durante a década de 1920, os Estados Unidos desfrutaram a paz e um bom momento econômico. Em 1929, porém, o crash (“quebra”) da bolsa de valores americana iniciou uma séria crise chamada Grande Depressão. Muitas pessoas perderam o emprego e as economias. Em 1930, o presidente Franklin Delano Roosevelt iniciou um programa, o New Deal, que ajudou empresários e fazendeiros e deu emprego a muitas pessoas.

O desafio seguinte foi a Segunda Guerra Mundial, que começou em 1939, na Europa. O grupo formado pela Alemanha, pela Itália e pelo Japão chavama-se Eixo. O outro lado, que incluía o Reino Unido, a França e a União Soviética, era o dos Aliados. Em 7 de dezembro de 1941, aviões japoneses atacaram a base naval americana de Pearl Harbor, no Havaí, e os Estados Unidos entraram na guerra ao lado dos Aliados.

As forças americanas lutaram na Europa, no norte da África e nas ilhas do oceano Pacífico. O conflito na Europa acabou em maio de 1945, quando a Alemanha se rendeu. A guerra no Pacífico terminou em agosto desse mesmo ano, depois que os Estados Unidos jogaram bombas atômicas sobre as cidades japonesas de Hiroxima e de Nagasáqui.

A Guerra Fria

Depois da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos se envolveram em tensa rivalidade com a União Soviética, que tinha governo comunista. Os Estados Unidos queriam evitar que o comunismo se espalhasse para outros países. A rivalidade entre essas duas potências ficou conhecida como Guerra Fria.

O primeiro grande conflito contra o comunismo foi a Guerra da Coreia. Em 1950, as tropas comunistas da Coreia do Norte invadiram a Coreia do Sul. O exército dos Estados Unidos ajudou a Coreia do Sul a lutar contra os comunistas, num conflito que durou até 1953. A Guerra do Vietnã foi outra guerra contra o comunismo. Desde os anos 1950 os rebeldes comunistas tentavam derrubar o governo do Vietnã do Sul, que recebeu a ajuda dos Estados Unidos. Muita gente protestou contra a guerra, e as tropas dos Estados Unidos gradualmente deixaram o Vietnã no começo da década de 1970.

Depois da Guerra Fria

As relações entre os Estados Unidos e a União Soviética melhoraram nos anos 1980 e, em 1991, com o fim da União Soviética, a Guerra Fria acabou.

Nos primeiros anos do século XXI, os Estados Unidos passaram a se preocupar mais com as ameaças de terroristas do que com as disputas com outros países. Em 2001, integrantes do grupo chamado Al-Qaeda sequestraram quatro aviões, jogando dois deles contra os dois edifícios do World Trade Center, em Nova York; um no Pentágono, em Washington, D.C.; e o quarto em um campo aberto na Pensilvânia. Os ataques mataram cerca de 3 mil pessoas.

Após os ataques, George W. Bush, presidente dos Estados Unidos, acusou os líderes do Afeganistão e do Iraque de apoiar o terrorismo e decidiu atacar os dois países com forças militares: o Afeganistão em 2001 e o Iraque em 2003.

Em 2008, os Estados Unidos elegeram seu primeiro presidente de origem africana. Logo que assumiu, o novo presidente, Barack Obama, teve que enfrentar uma grave crise econômica e duas guerras, no Afeganistão e no Iraque. Em maio de 2011, Obama anunciou que as forças americanas tinham localizado e assassinado Osama bin Laden, o líder da Al-Qaeda. Em 6 de novembro de 2012, Obama foi reeleito para um segundo mandato como presidente.