arquipélago dos Abrolhos 

Photograph
O atobá (Sula leucogaster) é uma grande ave da família do pelicano que …
© ostill/Shutterstock.com
Projetos na Área de Pesquisa

O arquipélago dos Abrolhos é um conjunto de cinco ilhas localizadas no oceano Atlântico. Fica a 72 quilômetros da cidade de Caravelas, na parte mais ao sul da costa do estado da Bahia. Abrolhos ocupa uma área de 75 quilômetros quadrados. Navegantes portugueses chegaram às ilhas no século XVI. Acredita-se que o nome “Abrolhos” venha da expressão “abram os olhos”, utilizada desde cedo para falar no perigo que as ilhas ofereciam à navegação, ao surgir repentinamente diante das embarcações.

O arquipélago dos Abrolhos é um conjunto de cinco ilhas localizadas no oceano Atlântico. Fica a 72 quilômetros da cidade de Caravelas, na parte mais ao sul da costa do estado da Bahia. Abrolhos ocupa uma área de 75 quilômetros quadrados. Navegantes portugueses chegaram às ilhas no século XVI. Acredita-se que o nome “Abrolhos” venha da expressão “abram os olhos”, utilizada desde cedo para falar no perigo que as ilhas ofereciam à navegação, ao surgir repentinamente diante das embarcações.

As ilhas e suas águas

As cinco ilhas que compõem o arquipélago dos Abrolhos são Santa Bárbara (onde se localiza o farol), Siriba, Redonda, Sueste e Guarita. Elas são compostas de formações rochosas de origem vulcânica e de rochas sedimentares.

Santa Bárbara é uma base militar da Marinha do Brasil e tem um farol. É a maior e a única ilha habitada do arquipélago. Moram ali militares e seus familiares, além de funcionários do Ibama e alguns pesquisadores.

Fauna e flora

Photograph
Tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata).
© Hemera/Thinkstock
Video

Baleias-jubarte (Megaptera novaengliae) filmadas no mar.
Encyclopædia Britannica, Inc.

As ilhas reúnem o maior conjunto de corais do Atlântico sul. Por essa razão, o arquipélago e suas águas têm grande variedade de espécies marinhas, sendo bastante procurados por mergulhadores e biólogos.

As suas águas claras e de temperaturas amenas (22°C em média) favorecem a procriação de várias espécies. Por isso Abrolhos é considerado hoje um dos principais berçários de seres vivos do Brasil. Vivem ou passam por ali praticamente todas as espécies de peixes da costa brasileira, diversas espécies de aves, como o atobá-marrom (Sula leucogaster), a fragata (Fregata magnificens) e a grazina (Phaeton aethereus), além varias espécies de tartarugas como a tartaruga-de-pente, a tartaruga-gigante, a tartaruga-de-couro e a tartaruga-verde.

Mas o espetáculo de maior beleza acontece todos os anos a partir de julho, com a chegada das grandes baleias-jubarte (Megaptera novaeangliae), que buscam as águas mornas do arquipélago para se acasalar e reproduzir. Elas permanecem ali até dezembro. Calcula-se que se abriguem em Abrolhos, durante esses meses, entre 1.500 e 1.800 mamíferos desta espécie.

Siriba e Santa Bárbara possuem a maior colônia de atobás-brancos, aves endêmicas de Abrolhos.

Parque nacional

À exceção da ilha de Santa Bárbara, todas as outras integram o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, que engloba ainda os recifes de Timbedas e o canal dos Abrolhos. O parque foi criado no dia 6 de abril de 1983. Foi a primeira reserva nacional marinha a ser criada no Brasil. É uma reserva biológica. Isso quer dizer que as espécies ali existentes são preservadas e podem ser pesquisadas.

A única ilha aberta ao desembarque e à visitação pública (sempre programada) é a Siriba. Mas os passeios são restritos às margens da ilha, preservando assim os ninhos feitos pelas aves no solo da porção interior.

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), em conjunto com a Marinha brasileira, tem a responsabilidade pela manutenção e pela segurança do parque.