Índice deste artigo
Imprimir este Índice

Jacó 

Photograph
Neste quadro de 1656, do pintor holandês Rembrandt, Jacó abençoa seus netos, …
Courtesy of the Staatliche Museen, Kassel, Germany
Projetos na Área de Pesquisa

Jacó foi filho de Isaac e neto de Abraão, membros do antigo povo hebreu que são considerados os patriarcas da nação de Israel. Abraão e seus descendentes se espalharam pela região de Canaã (onde hoje ficam a Palestina e Israel), formando o povo israelita. Essa história está contada no Gênesis, o primeiro livro da Bíblia, o livro sagrado dos judeus. Conforme o texto bíblico, Deus prometeu a terra de Canaã aos descendentes de Abraão, Isaac e Jacó; por esse motivo, a região recebeu, nos textos religiosos dos judeus, o nome de Terra Prometida.

Jacó foi filho de Isaac e neto de Abraão, membros do antigo povo hebreu que são considerados os patriarcas da nação de Israel. Abraão e seus descendentes se espalharam pela região de Canaã (onde hoje ficam a Palestina e Israel), formando o povo israelita. Essa história está contada no Gênesis, o primeiro livro da Bíblia, o livro sagrado dos judeus. Conforme o texto bíblico, Deus prometeu a terra de Canaã aos descendentes de Abraão, Isaac e Jacó; por esse motivo, a região recebeu, nos textos religiosos dos judeus, o nome de Terra Prometida.

Segundo a história contada no Gênesis, Jacó era irmão gêmeo de Esaú, que era o primogênito – isto é, tinha nascido primeiro. Certo dia, Esaú entrou em casa faminto, e Jacó havia preparado uma boa refeição. O irmão mais velho pediu um prato de comida a Jacó, e este disse que trocaria o alimento pelo posto de primogênito. Esaú aceitou a proposta. Mais tarde, no entanto, ficou arrependido e decidiu matar Jacó. Aconselhado pela mãe, Jacó fugiu para Harã (na atual Turquia).

No caminho, Jacó teve um sonho em que Deus (ou Javé, para o povo hebreu) dizia que a terra onde dormia pertenceria a seus descendentes. Ao acordar, Jacó declarou aquele lugar sagrado, ergueu ali uma pedra e chamou o local de Betel, que significa a “Casa de Deus”. Jacó teve doze filhos, os quais deram origem às doze tribos de Israel, multiplicando o povo israelita.

Foi ao lutar com um anjo que Jacó recebeu o nome de Israel, cujo significado é “o que luta com Deus”. Desse novo nome que lhe foi dado é que se tirou o nome do povo de Israel – assim como o do atual país chamado Estado de Israel, criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) 3 mil anos depois da época em que Jacó teria vivido. O país hoje chamado Israel foi fundado em 1948, depois do Holocausto, ocorrido principalmente durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), mas iniciado antes dela.

O Estado de Israel foi criado num pedaço da Palestina (onde ficava a antiga Canaã), que estava ocupada pelos palestinos, um povo árabe, e isso gerou muitas guerras. Os palestinos não queriam ceder seu território; por outro lado, os israelenses (ou judeus) consideravam que seus territórios nos tempos bíblicos se expandiam por uma área bem maior que a determinada pela ONU. Por isso, alguns deles pretendiam ocupar toda a região correspondente à antiga terra prometida, segundo a Bíblia, a Jacó (ou Israel).

O conflito persiste. Lugares como Hebron, cidade da Cisjordânia localizada a 35 quilômetros de Jerusalém, simboliza essa disputa entre árabes e judeus. Ali está a Tumba dos Patriarcas, onde estariam enterrados Abraão, Isaac e Jacó, os primeiros patriarcas do povo judeu, sendo por isso considerado um dos lugares mais sagrados do judaísmo. É também em Hebron que foi fundada a importante mesquita de Ibraim, o patriarca dos muçulmanos. Ocorre que Ibraim é o nome que os árabes dão a Abraão, que é considerado patriarca ancestral tanto dos judeus como dos árabes.