orixá 

Photograph
Figuras de orixás pela escultora Tati Moreno, na lagoa Dique do Tororó, em Salvador, …
Arco Images GmbH/Alamy
Projetos na Área de Pesquisa

Os orixás são divindades da religião nagô (ou ioruba), cultuados no candomblé. Acima deles há um deus supremo, Olorum.

Os orixás são divindades da religião nagô (ou ioruba), cultuados no candomblé. Acima deles há um deus supremo, Olorum.

Origem

Segundo a crença, os orixás vivem na costa da África e são atraídos pelos cânticos e pelo ritmo dos tambores tocados em qualquer terreiro do mundo para chamá-los. Terreiro é o nome que se dá aos lugares de culto aos orixás, dirigidos por um pai de santo ou uma mãe de santo. Os orixás atendem ao chamado dos pais de santo e das mães de santo e se manifestam através deles. Encarnam e falam por seu intermédio.

Cada orixá é chamado com um cântico e com um ritmo específicos. Durante o culto, são oferecidos presentes e alimentos diversos a eles. Cada orixá gosta de um tipo de comida e de um determinado tipo de presente.

Photograph
Estátua de Iemanjá, uma divindade orixá, na Praia dos Artistas, em Natal, Rio …
Sergio Pitamitz—Robert Harding Picture Library Ltd/Alamy

Há catorze orixás principais no candomblé: Oxalá, Xangô, Ogum, Oxóssi, Omolu, Exu, Iemanjá, Iansã, Oxum, Anamburucu (Nanamburucu, Nanã, Onanã), Oxumaré, Locô, Ifá e os gêmeos Ibeji (ou Beji).

O que representam

Photograph
Figuras de madeira da Nigéria, na África, representando os orixás …
Frank Willett

Cada um dos orixás representa uma força da natureza, alguma característica da personalidade humana ou alguma atividade. No Brasil, em Cuba e no Haiti, eles foram associados a santos da Igreja Católica e essa identidade varia conforme o lugar. Há mais de cem orixás, mas os principais são:

Oxalá: simboliza as energias produtivas da natureza. É o maior dos orixás. Tem caráter bissexual (é macho e fêmea ao mesmo tempo). O dia de seu culto na Bahia coincide com o de Nosso Senhor do Bonfim, que é a sexta-feira.

Xangô: um dos orixás mais conhecidos, é o deus das tempestades, dos raios e dos trovões. Seu dia é a quarta-feira. É identificado com as figuras católicas de São Jerônimo e Santa Bárbara.

Ogum: é o orixá das lutas e das guerras, filho de Iemanjá. Seu dia é a quinta-feira. É identificado com Santo Antônio, São Jorge, São Roque, São Paulo e São João, conforme a região.

Oxóssi: é o orixá da caça e, consequentemente, dos caçadores. Seu dia é a quinta-feira. Corresponde a São Sebastião ou a São Jorge.

Omolu: é o orixá da varíola (uma doença). Ele não pode ser festejado no mesmo terreiro dos outros orixás. Seu culto acontece num lugar à parte e dele só participam os sacerdotes. Gosta de ficar nas encruzilhadas, como Exu e Ogum. Seu dia é a segunda-feira. É identificado com São Lázaro e São Roque.

Exu: é o orixá que representa as forças contrárias ao homem. Seu dia é a segunda-feira. É visto como uma força demoníaca, e dessa forma é temido. Também cultuado, é identificado com São Jorge, Santo Antônio e São Jerônimo.

Iemanjá: é a mãe da água, orixá dos mares. É a figura feminina mais importante do candomblé. É conhecida por muitos outros nomes, como Janaína, Rainha do Mar e Inaê. É considerada a mãe de todos os orixás, padroeira dos viajantes e dos que se amam. Seu dia é o sábado. É associada à figura de Nossa Senhora (da Piedade, do Rosário etc.).

Iansã: é orixá dos ventos e das tempestades. É uma das mulheres de Xangô. Seu dia é a sexta-feira. É uma deusa associada a Santa Bárbara.

Oxum: é orixá dos rios e das fontes. É filha de Iemanjá. Seu dia é o sábado. É identificada com Nossa Senhora (de Lourdes, da Conceição, dos Prazeres, entre outras).

Anamburucu: é orixá da chuva. É conhecida também como Nanã. Seu dia é a quarta-feira. É associada a Santa Ana.

Oxumaré: é orixá do arco-íris. Segundo a crença, ele transporta a água até o palácio de Xangô, no céu. Seu dia é a terça-feira. É associado a São Bartolomeu.

Locô: conhecido também como Iroco, é orixá das matas. O culto é feito a uma grande gameleira de folhas, que representa a natureza. É identificado com São João Batista.

Ifá: é o orixá adivinho. A adivinhação é feita pelo “olhador”. Ele joga frutos de dendê (ou nozes) e analisa a sua disposição para interpretar a mensagem de Ifá. É associado ao Santíssimo Sacramento.

Ibeji: orixás gêmeos, os Ibejis são deuses da fecundidade. Seu culto é identificado com o dos santos Cosme e Damião.