Jogos Paralímpicos 

Photograph
No futebol paralímpico, um guizo dentro da bola ajuda os atletas a localizá-la.
© A.RICARDO/Shutterstock.com
Projetos na Área de Pesquisa

Os Jogos Paralímpicos são competições esportivas internacionais das quais participam atletas que têm algum tipo de deficiência. Esses jogos ocorrem logo após as Olimpíadas. O termo “paralímpico” significa “que ocorre paralelamente às Olimpíadas”.

Os Jogos Paralímpicos são competições esportivas internacionais das quais participam atletas que têm algum tipo de deficiência. Esses jogos ocorrem logo após as Olimpíadas. O termo “paralímpico” significa “que ocorre paralelamente às Olimpíadas”.

Os atletas

Atletas de vários países competem nas Paralimpíadas. Alguns sofreram lesões na espinha que causaram paralisia; em outros, faltam um ou mais membros. Esses atletas podem usar cadeiras de rodas ou próteses (membros artificiais) para se mover. Alguns atletas são cegos ou têm visão limitada. Outros têm paralisia cerebral, distrofia muscular ou outra condição que limita os movimentos. Atletas com deficiência mental podem competir em algumas modalidades. Eles também podem participar das Olimpíadas Especiais, que são um evento separado.

Organização e esportes

Photograph
Competição de tênis de mesa nos Jogos Paraolímpicos.
© Radu Razvan/Fotolia

O Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla do nome em inglês) organiza os Jogos Paralímpicos desde 1989. Localizado na Alemanha, o IPC tem como principais objetivos ajudar os atletas com deficiência a atingir a excelência nos esportes, bem como aumentar o respeito e a admiração pelas pessoas com deficiência.

Nos Jogos Paralímpicos de Verão, os participantes competem em mais de uma dúzia de esportes, dentre eles tiro com arco, atletismo, ciclismo, remo, voleibol sentado, futebol, natação, tênis de mesa, basquete em cadeira de rodas e esgrima em cadeira de rodas. Nas Paralimpíadas de Inverno, os atletas disputam hóquei sobre trenó, esqui, curling em cadeira de rodas, dentre outros esportes.

Os atletas competem contra outros que têm habilidades semelhantes. Em alguns esportes, tais como a natação e o voleibol sentado, não é permitido o uso de próteses nem de cadeiras de rodas. Já outros requerem equipamentos especiais — por exemplo, o trenó sobre o qual se joga o hóquei. Em alguns casos, um guia auxilia os atletas com deficiência visual. Nas provas de ciclismo, as bicicletas têm adaptações. No futebol para atletas cegos, a bola tem um guizo.

História

A origem dos Jogos Paralímpicos remonta ao ano de 1948, quando, no Reino Unido, o médico Ludwig Guttmann organizou uma competição atlética para veteranos que haviam perdido o uso das pernas na Segunda Guerra Mundial. A competição ocorreu no mesmo dia da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Verão de Londres.

As primeiras Paralimpíadas aconteceram em 1960, em Roma. Desde então, ocorrem a cada quatro anos. Os Jogos Paralímpicos de Inverno estrearam na Suécia em 1976 e também acontecem a cada quatro anos desde então. As Paralimpíadas passaram a ser realizadas na na mesma cidade que as Olimpíadas em 1988 (Jogos de Verão) e em 1992 (Jogos de Inverno).

O Brasil teve seu melhor desempenho nas Paralimpíadas de Pequim, em 2008. Participaram da delegação 188 atletas, que conquistaram ao todo 47 medalhas. O atleta com deficiência brasileiro de maior destaque é o nadador Daniel Dias. Dentre várias outras conquistas, ele conseguiu seis medalhas de ouro e quebrou cinco recordes nos jogos de Londres, em 2012. Daniel já foi eleito o melhor atleta paralímpico do mundo três vezes: em 2009, em 2013 e em 2016.