Paraná 

Map/Still

Encyclopædia Britannica, Inc.
Photograph
Jardim Botânico de Curitiba, no estado do Paraná.
© Christophe Schmid/Fotolia
Photograph
Formação rochosa do Parque de Vila Velha, no estado do Paraná.
Rubens Chaves—TIPS/Imagestate
Photograph
Vista da Universidade Federal do Paraná na praça Santos Andrade, em Curitiba, capital …
Plessner International
Photograph
A represa de Itaipu fica no alto curso do rio Paraná, na fronteira do Brasil com o Paraguai.
Vieira de Queiroz—TYBA/Agencia Fotografica
Photograph
A araucária, originária do Sul do Brasil, é também conhecida como …
© Xico Putini/Fotolia
Photograph
As cataratas do Iguaçu do lado brasileiro fazem parte do Parque Nacional do Iguaçu, …
IBAMA/Banco de Imagens do Ibama
Photograph
Fundada no século XVII, Paranaguá é a cidade mais antiga do Paraná e …
iStockphoto/Thinkstock
Photograph
Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, Brasil.
IBAMA/Banco de Imagens do Ibama
Projetos na Área de Pesquisa

Localizado na região Sul do Brasil, o Paraná (sigla: PR) é um estado de clima subtropical. Sua capital é Curitiba. O estado tem uma população de 10.439.601 habitantes (censo de 2010), que vivem em uma área de 199.314 km2.

Localizado na região Sul do Brasil, o Paraná (sigla: PR) é um estado de clima subtropical. Sua capital é Curitiba. O estado tem uma população de 10.439.601 habitantes (censo de 2010), que vivem em uma área de 199.314 km2.

Geografia

O Paraná faz divisa com os estados de São Paulo (a norte e a nordeste), Santa Catarina (a sul e a sudeste) e Mato Grosso do Sul (a noroeste). A sudoeste, tem fronteira com a Argentina. A leste, seu limite é o oceano Atlântico.

O relevo é caracterizado por planaltos e algumas planícies. O principal rio do estado é o Paraná, que nasce em Minas Gerais e percorre 427 quilômetros de terras paranaenses. No rio Paraná está a hidrelétrica de Itaipu, um dos maiores projetos hidroelétricos do mundo, em parceria com o Paraguai. Outro rio importante é o Iguaçu, que nasce em Curitiba, na divisa com São José dos Pinhais. O Iguaçu é o rio de maior extensão dentro do estado, sendo também importante para a geração de energia elétrica, com quatro usinas hidrelétricas instaladas. Quando o Iguacu se estreita na fronteira entre o Brasil e a Argentina, formam-se um conjunto de grande cachoeiras, as cataratas do Iguaçu. As 275 quedas-d’água formam uma das mais belas paisagens.

Flora e fauna

O Paraná abriga alguns dos últimos redutos de matas de araucária do Brasil. Elas ocorrem nas regiões mais altas e frias e são formadas por pinheiros, erva-mate, cedro e imbuia. Além disso, o estado conta com áreas de mata Atlântica, especialmente no litoral, de campos limpos, aproveitadas para pasto, de campo cerrado, encontradas entre a mata tropical e o campo limpo, além de vegetação litorânea, formada por praias e mangues.

O Paraná apresenta uma fauna muito rica, com mais de 770 espécies de aves e 180 de mamíferos. Algumas delas, no entanto, estão ameaçadas de extinção, como a gralha-azul, a onça-pintada, o macaco chamado muriqui, o gato-maracajá e a jacutinga.

População

A população paranaense foi formada por um processo de migrações internas, de paulistas, mineiros, cariocas, nordestinos, gaúchos e catarinenses, mas também por vários grupos de imigrantes. Entre esses destacam-se os eslavos, que colonizaram a região Centro-Sul do estado, os italianos, que fundaram colônias perto de Curitiba, os alemães, que se fixaram nos municípios de Rio Negro, Guarapava e Curitiba, e os japoneses, que vieram em grande parte de São Paulo, com a marcha do café, e se instalaram no norte do estado.

Economia

O Paraná é um importante produtor agrícola, com destaque para soja, milho, trigo, feijão, trigo e cana-de-açúcar. Na pecuária, destaca-se na avicultura, com mais de 25 por cento dos abates do país, e na produção de suínos e bovinos. É o maior criador nacional de suínos.

Na área industrial, o predomínio fica com os segmentos de alimentos, bebidas, refino de petróleo e automóveis. Já no setor de serviços, destacam-se os ramos de comércio e atividades imobiliárias.

O porto de Paranaguá é considerado o principal porto graneleiro do Brasil.

A instalação de indústrias automobilísticas e a autossuficiência energética, obtida após a construção de Itaipu, garantiram ao Paraná um rápido desenvolvimento urbano e econômico após a década de 1990. Apesar disso, ainda hoje o setor agropecuário é o mais importante na economia do estado.

História

Até o século XVII, os principais povoadores europeus do atual território do Paraná eram colonos e jesuítas espanhóis. A partir da descoberta de ouro é que os portugueses começaram a se interessar pela região. A consolidação e a expansão das atividades mineradoras em Minas Gerais, no século XVIII, no entanto, relegaram o Paraná a uma posição secundária na colônia, subordinado à capitania de São Paulo.

Em 1853, o Paraná separou-se de São Paulo, ganhando o estatuto de província, e a economia paranaense começou a ser impulsionada pelo cultivo da erva-mate, pela exploração madeireira e pelas lavouras de café. A expansão do café trouxe um crescimento populacional sem precedentes na região, com a chegada de migrantes de outras províncias.

No início do século XX, grandes companhias de colonização, como a inglesa Paraná Plantation, deram impulso à criação de novas cidades, entre elas Londrina e Maringá. Essas empresas transformaram o campo paranaense, com a introdução de métodos de produção cada vez mais modernos e competitivos. O governo estimulou a imigração para a região, oferecendo a posse de terras para colonos estrangeiros.

Os problemas enfrentados pela economia brasileira na década de 1970 atingiram fortemente o campo. Cerca de 1 milhão de pequenos produtores perderam seu emprego e suas terras. Muitos tornaram-se boias-frias, outros resolveram tentar a vida nas cidades ou migrando para outros estados. Isso deu início a um processo tardio, mas acelerado, de urbanização no Paraná, já na década de 1980.