Rafael 

Photograph
O quadro de Rafael Madona do prado, de 1505, pintado em óleo sobre madeira, …
Kunsthistorisches Museum, Vienna
Projetos na Área de Pesquisa

O grande mestre Rafael, pintor e arquiteto do Renascimento italiano, deixou inúmeras obras-primas. Rafael (em italiano, Raffaello Sanzio) nasceu em 6 de abril de 1483, no ducado de Urbino, na Itália, e morreu no dia 6 de abril de 1520, em Roma, no país dirigido pelo papa, que então se chamava Estados Pontifícios e depois, tendo seu tamanho reduzido, se tornou o atual Vaticano.

O grande mestre Rafael, pintor e arquiteto do Renascimento italiano, deixou inúmeras obras-primas. Rafael (em italiano, Raffaello Sanzio) nasceu em 6 de abril de 1483, no ducado de Urbino, na Itália, e morreu no dia 6 de abril de 1520, em Roma, no país dirigido pelo papa, que então se chamava Estados Pontifícios e depois, tendo seu tamanho reduzido, se tornou o atual Vaticano.

Ele é conhecido por suas Madonas (pinturas de Nossa Senhora) e por seus vastos afrescos no Vaticano. Sua arte é admirada pela clareza das formas e pela facilidade da criação.

Primeiros anos

Photograph
Retrato de Dona Isabel de Requesens, antigamente Retrato de Jeanne
© Photos.com/Jupiterimages

Rafael era filho de Giovanni Santi e de Magia di Battista Ciarla; sua mãe morreu quando ele tinha oito anos. Seu pai era um homem em constante contato com as ideias artísticas avançadas que circulavam nos meios cultos. Ele deu ao filho as primeiras instruções em pintura e em conhecimentos humanistas, antes de sua morte em 1494, quando Rafael tinha onze anos.

Urbino tinha se tornado um centro de cultura durante o governo do duque Federico da Montefeltro, que incentivou as artes e atraiu visitas de pessoas de talento excepcional.

Entre 1501 e 1503, Rafael trabalhou em uma encomenda importante: A coroação da Virgem, pintura para a Igreja de São Francisco, em Perúgia. Ao final de 1504, ele sentiu necessidade de novos modelos e ambientes que fizessem sua arte evoluir e partiu para Florença.

Florença

Photograph
São Miguel vencendo o demônio (também conhecido como …
© Photos.com/Jupiterimages

Em torno de 1504, Rafael entrou em contato com a civilização artística de Florença, o que lhe abriu novos e amplos horizontes. Seus principais professores na cidade eram Leonardo da Vinci e Michelangelo.

Rafael foi bastante influenciado pela obra de Leonardo da Vinci chamada Madona e o Menino com Santa Ana, criação marcada por uma simplicidade e um intimismo incomuns na arte do século XV.

Photograph
Rafael, um pintor italiano do século XVI, imaginou um encontro de Platão e …
Erich Lessing/Art Resource, New York

Em 1507, foi contratado para pintar A deposição de Cristo. Nessa obra, ele optou por expressar mais fortemente a anatomia humana, como fazia Michelangelo. Mas Rafael diferencia-se de Leonardo da Vinci e de Michelangelo, que eram pintores intensamente sombrios e emotivos, pois queria desenvolver um estilo mais calmo e mais facilmente entendido por todos. Foi baseado nessas ideias que produziu depois o célebre retrato de Platão e Aristóteles, no centro da obra A escola de Atenas (1509-1511).

Os últimos anos, em Roma

Photograph
Detalhe da Estância de Constantino (1517-1524) por Rafael no Vaticano. O …
© iStockphoto/Thinkstock

Rafael foi chamado a Roma, no final de 1508, pelo papa Júlio II. Como era dotado de boa aparência e de grande encanto pessoal, além do magnífico talento artístico, Rafael tornou-se tão popular que veio a ser chamado “o príncipe dos pintores”.

Rafael passou os últimos doze anos de sua vida breve em Roma. Foram anos de muita atividade e de muitas obras-primas. Sua primeira atividade na cidade foi pintar uma série de afrescos no Vaticano, em um conjunto de quartos onde o próprio papa vivia e trabalhava. Esses conjuntos de quartos são chamados de Estâncias (Stanze). A decoração da Estância da Assinatura (1508-1511) é, talvez, a obra máxima de Rafael.

O papa Leão X encarregou Rafael de desenhar dez grandes tapeçarias para serem penduradas nas paredes da famosa Capela Sistina, no Vaticano. Sete dos dez desenhos (esboços de amplas dimensões) estavam prontos em 1516. As tapeçarias tecidas a partir dos desenhos foram colocadas em seu lugar na capela em 1519.

Rafael morreu no dia em que completou 37 anos. A missa de corpo presente foi celebrada no Vaticano; sua obra Transfiguração foi colocada diante do caixão e seu corpo foi enterrado no Panteão, em Roma.