Michael Schumacher 

Photograph
Sete vezes campeão mundial da Fórmula 1, Michael Schumacher aparece aqui em sua …
© GGS/Shutterstock.com
Projetos na Área de Pesquisa

Michael Schumacher é o piloto de Fórmula 1 com maior número de vitórias no campeonato mundial da categoria: foi sete vezes campeão. Além disso, ao longo de seus quinze anos de carreira na F1, bateu quase todos os recordes possíveis nesse esporte. Foi o piloto com mais vitórias em grandes prêmios, ou GPs (91), com maior número de pontos (1.391). Ele subiu mais vezes ao pódio dos três primeiros colocados em uma corrida (154) e teve o maior número de voltas mais rápidas (76) e mais pole positions (68), entre outros. Nenhum desses recordes tinha sido batido ainda em 2009.

Michael Schumacher é o piloto de Fórmula 1 com maior número de vitórias no campeonato mundial da categoria: foi sete vezes campeão. Além disso, ao longo de seus quinze anos de carreira na F1, bateu quase todos os recordes possíveis nesse esporte. Foi o piloto com mais vitórias em grandes prêmios, ou GPs (91), com maior número de pontos (1.391). Ele subiu mais vezes ao pódio dos três primeiros colocados em uma corrida (154) e teve o maior número de voltas mais rápidas (76) e mais pole positions (68), entre outros. Nenhum desses recordes tinha sido batido ainda em 2009.

Schumacher nasceu em 3 de janeiro de 1969, na cidade de Hürth-Hermülhein, na Alemanha. Ainda criança se interessou pelas corridas de kart, sempre com o apoio do pai, ganhando vários títulos europeus e alemães entre 1984 e 1987. Em 1988, com 19 anos, trocou o kart pela Fórmula 3, vencendo o campeonato alemão da categoria dois anos depois.

Em 1991, Schumacher foi para a Fórmula 1, contratado pela equipe Jordan. Mudou para a Benetton no ano seguinte, onde ganhou o campeonato de pilotos por dois anos consecutivos, 1994 e 1995. Na temporada de 1996, foi para a Ferrari e ficou em terceiro lugar. Depois de um acidente em 1999, em que quebrou a perna, Schumacher voltou a correr em 2000, vencendo pela terceira vez o campeonato de pilotos. Venceu os quatro seguintes, também. Com sete títulos mundiais, quebrou o recorde de Juan Manuel Fangio, que não era batido havia cinquenta anos. (Fangio foi um corredor argentino que ganhou cinco campeonatos de Fórmula 1, em 1951 e quatro vezes consecutivas, de 1954 a 1957.)

Nos anos de 2005 e 2006, Schumacher terminou o campeonato em terceiro e segundo lugar, respectivamente, e decidiu se aposentar, tornando-se consultor da Ferrari. Tinha um total de 91 grandes prêmios vencidos, batendo o recorde anterior de 51 GPs do piloto francês Alain Prost. Não conseguiu ficar longe das pistas. Em dezembro de 2009, anunciou seu retorno à Fórmula 1 para a temporada de 2010 na equipe da Mercedes.

Schumacher se tornou um dos atletas mais bem pagos da história do esporte. Seu salário anual, no pico da carreira, era estimado em US$ 100 milhões. Reconhecido por seus trabalhos de caridade, foi nomeado embaixador da UNESCO em 2002 e fez uma doação de US$ 10 milhões para ajudar as pessoas atingidas pelo tsunami de 2004 no sul da Ásia.

Em dezembro de 2013, Schumacher caiu enquanto esquiava na França e bateu a cabeça em uma pedra. Mesmo usando capacete no momento do acidente, ele sofreu danos cerebrais significativos e foi mantido em estado de coma induzido até junho do ano seguinte.