Sergipe 

Map/Still

Encyclopædia Britannica, Inc.
Photograph
A cidade portuária de Aracaju, capital do Sergipe, situa-se ao longo do rio Continguiba.
© Hemera/Thinkstock
Projetos na Área de Pesquisa

Sergipe (sigla: SE) é uma das 27 unidades federativas brasileiras. Localizado na região Nordeste, faz fronteira com os estados de Alagoas e Bahia e com o oceano Atlântico. É o menor estado brasileiro, com 21.910 km2 de área. Sua população soma 2.068.031 habitantes (censo de 2010). A capital de Sergipe é Aracaju.

Sergipe (sigla: SE) é uma das 27 unidades federativas brasileiras. Localizado na região Nordeste, faz fronteira com os estados de Alagoas e Bahia e com o oceano Atlântico. É o menor estado brasileiro, com 21.910 km2 de área. Sua população soma 2.068.031 habitantes (censo de 2010). A capital de Sergipe é Aracaju.

Geografia

Photograph
Vista da Praia de Atalaia Nova no município de Barra dos Coqueiros, no Sergipe.
Tito Garcez

O estado de Sergipe está dividido em duas regiões principais. A primeira é composta pelo litoral e pela zona da mata, com altitudes baixas e clima tropical úmido. A outra é o sertão, mais elevado e de clima semiárido (seco, com poucas chuvas), onde ocorre a Caatinga. A temperatura média anual de Sergipe é de 23°C a 24°C e seu ponto mais elevado está na serra Negra (742 m). Os principais rios do estado são o Sergipe, o Vaza-Barris (estes dois banham a capital) e o São Francisco, na fronteira com o estado de Alagoas.

Economia

A principal atividade econômica sergipana é a exploração de seus recursos naturais. Sergipe possui a maior mina de potássio da América Latina, no município de Rosário do Catete, e é o terceiro estado brasileiro em produção de petróleo. A Petrobras (maior empresa brasileira) explora campos de petróleo e gás natural tanto em terra como no mar. Sergipe conta também com importantes reservas de magnésio, sal-gema e enxofre.

A agropecuária emprega a maior parte da mão-de-obra sergipana. As culturas mais importantes são a laranja, a cana-de-açúcar, a mandioca e o coco. Apesar disso, o setor de serviços é responsável por mais de metade das atividades econômicas do estado.

Com um litoral de 163 quilômetros, repleto de praias, paisagens naturais intocadas e cidades históricas tombadas pelo patrimônio, Sergipe tem visto crescer o turismo interno e externo.

História

Photograph
Monumento a Cristóvão de Barros, fundador do povoado de São …
Riba28-maps

O litoral de Sergipe foi um dos primeiros a serem alcançados pelas naus portuguesas. Era frequente a visita de navios franceses, interessados em obter pau-brasil dos índios em troca de objetos. No fim do século XVI, expedições militares expulsaram os franceses e Garcia d’Ávila, proprietário de terras na região, iniciou a conquista do território, com a ajuda de missionários jesuítas que chegaram para catequizar os indígenas.

Photograph
A igreja e o convento de São Francisco formam um dos principais conjuntos históricos …
© anghifoto/Fotolia

O domínio definitivo da região, porém, aconteceu com Cristóvão de Barros, que venceu o cacique Baepeba e estabeleceu a capitania de Sergipe del Rei, subordinada à da Bahia. Em 1590, Barros fundou o povoado de São Cristóvão, que permaneceu como sede da capitania e, depois, da província de Sergipe até 1855, quando a capital foi transferida para Aracaju.

Como as terras no litoral do estado não eram adequadas à plantação de cana-de-açúcar, a região de Sergipe dedicou-se à criação de gado, tornando-se fornecedor das fazendas da Bahia e de Pernambuco. Em 1637, Sergipe foi tomado pelas forças holandesas, que haviam invadido outros estados do Nordeste. Porém, a região foi retomada pelos portugueses em 1645.

Sergipe só ganhou autonomia em relação à Bahia em 1823, depois da independência do Brasil, quando se tornou província do Império. Passou a estado com a Proclamação da República, em 1889.

Nasceram em Sergipe, entre outros, Silvio Romero, crítico literário e ensaísta, os jornalistas Joel Silveira e Ancelmo Góis, e o pugilista Adilson José Rodrigues, o Maguila.