Índice deste artigo
Imprimir este Índice

snowboard 

Photograph
Praticante de snowboard em ação, com a cidade de Sun Valley ao fundo, em Idaho, nos …
Karl Weatherly—Stone/Getty Images
Projetos na Área de Pesquisa

O snowboard é um esporte radical de inverno, aparentado com o esqui. Ele evoluiu do skate e do surfe. Há três estilos principais de competição: alpino, estilo livre e boardercross.

O snowboard é um esporte radical de inverno, aparentado com o esqui. Ele evoluiu do skate e do surfe. Há três estilos principais de competição: alpino, estilo livre e boardercross.

Desenvolvido na década de 1960, acredita-se que o snowboard nasceu nos Estados Unidos, onde vários inventores exploraram a ideia de surfar na neve. O esporte evoluiu rapidamente, e as primeiras pranchas rudimentares abriram caminho para projetos que se especializaram em atender às demandas de competições diferentes.

O desenho básico é uma prancha (bem parecida com uma prancha muito grande de skate sem rodas), à qual os pés do competidor são presos com amarras. Não são usadas varas, e os competidores arrancam de marcos estacionários. O tamanho e a forma de um snowboard variam de acordo com o uso que se quer dar à prancha e com o tamanho do esportista. Todavia, o tamanho médio de uma prancha é 1,5 metro de comprimento e 25 centímetros de largura. Uma prancha pode ter um corte lateral profundo (o que lhe dá formato semelhante ao de uma ampulheta), a fim de facilitar as curvas mais fechadas. Uma correia ligada ao tornozelo do praticante evita que a prancha escorregue para fora após uma queda.

Uma prancha rígida e amarras e botas blindadas são usadas para os eventos alpinos, todos cronometrados e contendo portões que os snowboarders (praticantes de snowboard) devem contornar. O slalom e o slalom gigante são considerados competições técnicas por causa do fechamento das curvas. O slalom supergigante (também chamado de super-G) é um evento de velocidade com curvas mais abertas e um percurso mais longo.

Pranchas altamente flexíveis, amarras protegidas e botas são usadas para os eventos de estilo livre, que se realizam num meio-tubo, uma rampa construída de neve que parece o fundo de um tubo. Os meios-tubos variam de tamanho: têm entre 75 e 100 metros de comprimento e entre 10 e 18 metros de parede a parede. A altura da parede varia de 3 a 6 metros. O estilo livre, que não é uma corrida, é uma série de truques acrobáticos que são avaliados por três a cinco juízes.

Botas e amarras do estilo livre flexível são usadas com uma prancha de flexibilidade média para a competição de boardercross, em que quatro a seis corredores navegam simultaneamente colina abaixo numa pista contendo saliências, obstáculos e outras dificuldades; o vencedor é determinado pela velocidade.

O órgão dirigente do snowboarding internacional é a Fédération Internationale de Ski (FIS, ou Federação Internacional de Esqui). O esporte foi reconhecido pela primeira vez pelo Comitê Olímpico Internacional em 1994, e sua estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno ocorreu em 1998, em Nagano, no Japão, onde se realizaram o slalom gigante e o meio-tubo para mulheres.

No Brasil, no final da década de 1990 foi construída a primeira pista de snowboard em São Roque, no estado de São Paulo. Outras pistas foram construídas no país, usando materiais plásticos em vez de neve como piso para as pranchas deslizarem. Pelo fato de não haver montanhas nevadas no Brasil, os snowboarders muitas vezes viajam para outros países, por exemplo Chile e Argentina, na América do Sul, ou para a Europa e os Estados Unidos. Brasileiros e brasileiras têm estado entre os competidores olímpicos, como Isabel Clark, nona colocada na categoria feminina nos Jogos Olímpicos de 2006, em Turim, na Itália, e Mário Zulian, o homem mais bem colocado da América Latina nos jogos de Turim.