Antonio Vivaldi 

Photograph
O italiano Antonio Vivaldi, apelidado de Il Prete Rosso (o Padre Ruivo), foi, além de um …
Photos.com/Thinkstock
Audio
Fragmento do primeiro movimento do Concerto para violino em Fá maior
© Cefidom/Encyclopædia Universalis
Audio
Primeiro movimento do Concerto para violino em Fá menor (Inverno) de …
© Cefidom/Encyclopædia Universalis
Audio
Fragmento do segundo movimento do Concerto para violino em Mi maior (Primavera) de …
© Cefidom/Encyclopædia Universalis
Audio
Primeiro movimento do Concerto para violino em Sol menor (Verão) de …
© Cefidom/Encyclopædia Universalis
Audio
Fragmento do “Cum Sancto Spiritu” do Glória, de Antonio …
© Cefidom/Encyclopædia Universalis
Projetos na Área de Pesquisa

Antonio Vivaldi foi um dos mais importantes compositores italianos de música clássica. Escreveu inúmeras peças, entre sonatas, concertos e óperas. Ainda hoje é muito conhecido do grande público, e sua riquíssima obra continua a ser gravada e interpretada em concertos.

Antonio Vivaldi foi um dos mais importantes compositores italianos de música clássica. Escreveu inúmeras peças, entre sonatas, concertos e óperas. Ainda hoje é muito conhecido do grande público, e sua riquíssima obra continua a ser gravada e interpretada em concertos.

Juventude

Antonio Lucio Vivaldi nasceu em Veneza (na atual Itália), em 4 de março de 1678. Aprendeu a tocar violino com o pai, barbeiro e violinista da Basílica de São Marcos, em Veneza.

Dedicou-se à carreira eclesiástica e se tornou padre em 1703, ficando conhecido como Padre Ruivo devido a seu cabelo avermelhado. Mas não abandonou o instrumento. No mesmo ano, foi nomeado mestre de violino da escola de música para moças do Ospedale della Pietà, um convento e orfanato financiado pela Sereníssima República de Veneza.

No ano seguinte, começou a se firmar como compositor, publicando suas primeiras obras. A música se tornou sua ocupação exclusiva, pois abandonou a batina. Vivaldi se apaixonou por uma de suas alunas, que o acompanhou pelo resto da vida, como cantora e musa inspiradora.

Carreira

A partir de 1707, Vivaldi conquistou fama no meio aristocrático, e suas obras passaram a ser publicadas fora de Veneza. Foi ele o mestre do “concerto grosso” (assim chamado porque, em vez de usar um instrumento solista acompanhado de orquestra, era feito para vários solistas tocando juntos).

Em 1712 compôs a famosa série de doze concertos intitulada L’estro armonico (“A inspiração harmônica”). A partir de 1713 dedicou-se também à ópera. Sua obra mais famosa, As quatro estações, são quatro concertos, de outra série de doze, publicados entre 1724 e 1725. Em 1729 terminou Glória, uma peça religiosa majestosa para o casamento do rei francês Luís XV. Até morrer, em Viena, na Áustria, em 28 de julho de 1741, Vivaldi nunca deixou de trabalhar.

Esquecimento e redescoberta

Após sua morte, Vivaldi ficou esquecido por quase dois séculos, não só em Veneza como em boa parte da Europa. No entanto, suas partituras manuscritas foram redescobertas na Biblioteca Nacional Universitária de Turim, na Itália, no fim da década de 1920. Em 1947 foi criado o Instituto Italiano Vivaldi, que garantiu a edição completa dos trabalhos do compositor. A partir de 1950 sua obra passou a ser bastante difundida, graças às inúmeras gravações em disco, e se tornou amplamente conhecida.

Legado

Marcada pelo dinamismo e pela espontaneidade, a obra de Vivaldi é extensa. Ele compôs 98 sonatas, 550 concertos, cem árias, 46 óperas e 23 sinfonias, além de música sacra. E ainda influenciou outros importantes compositores, como dois contemporâneos seus — Johann Sebastian Bach (1685-1750), que transcreveu alguns de seus concertos para o cravo e Georg Philipp Telemann (1681-1767) —, além de Franz Joseph Haydn (1732-1809), entre outros.