Sérgio Buarque de Hollanda 

Projetos na Área de Pesquisa

Sérgio Buarque de Hollanda foi um escritor e professor paulista, considerado um dos maiores estudiosos da história do Brasil. Publicados a partir de 1936, seus livros continuam fundamentais para o estudo da civilização brasileira.

Sérgio Buarque de Hollanda foi um escritor e professor paulista, considerado um dos maiores estudiosos da história do Brasil. Publicados a partir de 1936, seus livros continuam fundamentais para o estudo da civilização brasileira.

A vida do escritor

Sérgio Buarque de Hollanda nasceu em São Paulo, em 1902. Ainda estudante, colaborou nas imprensas paulista e carioca e participou da Semana de Arte Moderna de 1922. Formou-se pela Faculdade de Direito do Rio de Janeiro em 1925. Viveu e estudou na Europa (principalmente na Alemanha) entre 1929 e 1931. De volta ao Brasil, tornou-se professor na Faculdade de Filosofia do Distrito Federal, que era, então, o Rio de Janeiro. Em 1936 publicou Raízes do Brasil, obra que o tornaria conhecido em todo o país.

Ao longo de sua extensa carreira, Sérgio Buarque de Hollanda ocupou cargos importantes no Ministério da Educação, foi diretor do Museu Paulista (Museu do Ipiranga), deu aulas em universidades estrangeiras e foi professor na Universidade de São Paulo até 1969. Nesse ano, em solidariedade a colegas cassados pela ditadura militar, afastou-se da universidade. Intelectualmente ativo até o final da vida, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT), em 1980, e recebeu dois importantes prêmios literários (Juca Pato e Jabuti) nesse mesmo ano. Sua casa, no bairro do Pacaembu, em São Paulo, era um ponto de encontro de intelectuais.

Sérgio Buarque de Hollanda morreu na cidade de São Paulo, no dia 24 de abril de 1982. Foi casado com Maria Amélia de Carvalho Cesário Alvim, que morreu em maio de 2010, e tiveram sete filhos. Entre eles, o compositor Chico Buarque e as cantoras Cristina e Miúcha. Com uma namorada que teve nos tempos de solteiro na Alemanha teve também um filho, que nunca veio a conhecer pessoalmente.

Obra

Depois de Raízes do Brasil, livro fundamental sobre a formação da sociedade brasileira, Sérgio Buarque de Hollanda publicou várias outras obras de grande importância. Entre elas estão Monções (1945), Caminhos e fronteiras (1957) e Visão do paraíso (1959). A partir de 1960, coordenou a edição da série História Geral da Civilização Brasileira, que reunia obras de grandes historiadores do país. Em 1972 assinou, nessa coleção, o volume Do Império à República.

Tentativas de mitologia, última obra que publicou em vida, é de 1979. Depois de sua morte foram publicadas várias coletâneas de textos de sua autoria.

Os livros de Sérgio Buarque de Hollanda foram traduzidos para diversos idiomas. Suas reflexões são consideradas indispensáveis para o estudo da formação histórica e social do Brasil. Além de notável intérprete da realidade brasileira, ele foi um escritor de grande talento literário.