Índice deste artigo
Imprimir este Índice

Contra-Reforma 

Photograph
O papa Paulo III, retratado em um medalhão do século XVI, é considerado como o …
Leonard von Matt/EB Inc.
Photograph
A ordem jesuíta, fundada por Santo Inácio de Loyola na época da …
Photos.com/Jupiterimages
Projetos na Área de Pesquisa

Na Idade Média, a Igreja Católica Romana considerava que todos os cristãos da Europa estavam sob seu domínio. Porém, essa unidade foi destruída pela Reforma protestante do século XVI. Em resposta à Reforma, a Igreja Católica criou seu próprio movimento, a Contra-Reforma ou Reforma católica. Seus objetivos eram impedir que o protestantismo se espalhasse, recuperar territórios perdidos e expandir os esforços missionários em todo o mundo. A Contra-Reforma também procurou solucionar problemas da própria Igreja Católica.

Na Idade Média, a Igreja Católica Romana considerava que todos os cristãos da Europa estavam sob seu domínio. Porém, essa unidade foi destruída pela Reforma protestante do século XVI. Em resposta à Reforma, a Igreja Católica criou seu próprio movimento, a Contra-Reforma ou Reforma católica. Seus objetivos eram impedir que o protestantismo se espalhasse, recuperar territórios perdidos e expandir os esforços missionários em todo o mundo. A Contra-Reforma também procurou solucionar problemas da própria Igreja Católica.

Ao longo dos séculos, houve muitas tentativas de revitalizar a Igreja e purificá-la de abusos e corrupção. Particularmente durante o Renascimento, muitos clérigos e leigos denunciaram a Igreja por sua vasta acumulação de riqueza, pela moral frouxa dos religiosos e pela venda de salvação em troca de dinheiro.

Várias novas ordens monásticas reformistas foram fundadas. Entre elas estavam o Oratório do Amor Divino, os Teatinos e os Capuchinhos, na Itália, e a Companhia de Jesus, ou Jesuítas, na Espanha. A ordem jesuíta, fundada por Inácio de Loyola em 1539, tornou-se uma grande defensora do catolicismo através da promoção da educação, do trabalho missionário e das tentativas de reconquistar as pessoas que haviam se convertido ao protestantismo.

Outra ferramenta da Igreja usada para combater a influência do protestantismo foi a Inquisição Romana. Esta instituição foi criada em 1542 pelo papa Paulo III e atuou de forma parecida com as inquisições medievais e espanhola. Seu objetivo era combater a heresia — ou seja, tudo aquilo que ia contra os ensinamentos católicos.

Na época de Paulo III, que foi papa de 1534 a 1549, a ameaça protestante era grande. Além disso, havia forte pressão para que um conselho fosse reunido, a fim de lidar com todos os problemas da Igreja. Paulo III convocou então o Concílio de Trento, no norte da Itália. O conselho se reuniu em três sessões diferentes entre 1545 e 1563, durante as quais a Igreja redefiniu suas doutrinas.

Dentre outras ações, foram tomadas medidas contra a vida de luxo levada por parte do clero e contra a nomeação de parentes para postos da Igreja. Além disso, a Contra-Reforma continuou com o esforço missionário pelo mundo, tentando recuperar fiéis em lugares que haviam deixado de ser católicos, como a Inglaterra e a Suécia.