Lucio Costa 

Photograph
Entrada principal do Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro, Brasil. Edifício …
Imagens AMB
Photograph
Pavimento térreo do Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro, projetado por Lucio …
Marcos Leite Almeida
Photograph
Brasília, a capital do Brasil, foi construída em tempo recorde, três anos e …
Jeremy Woodhouse—Digital Vision/Getty Images
Projetos na Área de Pesquisa

O arquiteto e urbanista brasileiro Lucio Costa, considerado o precursor da arquitetura modernista no Brasil, foi o criador do plano mestre para a nova capital brasileira em Brasília, em 1957.

O arquiteto e urbanista brasileiro Lucio Costa, considerado o precursor da arquitetura modernista no Brasil, foi o criador do plano mestre para a nova capital brasileira em Brasília, em 1957.

A formação

Lucio Ribeiro da Costa nasceu em 27 de fevereiro de 1902, em Toulon, na França. Ele viveu e estudou na Inglaterra e na Suíça antes de se mudar para o Brasil em 1917 e estudar na Escola Nacional de Belas Artes (Enba), no Rio de Janeiro, onde se formou em 1924 com uma licenciatura em arquitetura. Em 1931, Costa foi nomeado diretor da Escola Nacional de Belas Artes. Seus esforços para reformar o currículo ultrapassado da escola de arquitetura inspirou uma geração de alunos que posteriormente se tornaram líderes no desenvolvimento da arquitetura modernista no Brasil. Dentre esses alunos estava Oscar Niemeyer, que começou um estágio no escritório de arquitetura de Costa em 1934.

Em 1937, Lucio Costa e outros intelectuais brasileiros ligados ao movimento modernista colaboraram com os trabalhos do recém-criado Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN), que promovia o tombamento e a restauração de prédios históricos em todo o país.

Arquitetura modernista

Embora o trabalho inicial de Costa foi no estilo neocolonial então predominante, ele logo se tornou um seguidor das idéias do modernismo — um movimento artístico que pregava a liberdade de expressão e de estilo e a autonomia dos artistas, com a valorização da identidade brasileira em toda a sua variedade.

Durante o governo de Getúlio Vargas, Costa foi convidado a projetar a sede do Ministério da Educação e Saúde (atual Palácio Gustavo Capanema) no Rio de Janeiro (1937-1943). Para o trabalho, ele reúne uma equipe de jovens arquitetos, entre eles Niemeyer, e procura o arquiteto franco-suíço Le Corbusier como consultor. O edifício, considerado um marco da arquitetura moderna no Brasil, inclui jardins e tapeçaria desenhados pelo paisagista Roberto Burle Marx, e pinturas, afrescos e painéis do artista Cândido Portinari.

Em 1939, Costa e Niemeyer projetaram o pavilhão brasileiro para a Feira Mundial de Nova York. Na década seguinte, Costa completou vários projetos notáveis, entre eles o premiado Parque Eduardo Guinle (1948-1954), onde além de uma área de jardins encontram-se seis edifícios residenciais e o famoso Palácio Laranjeiras — a residência oficial do governador do Rio de Janeiro.

O plano mestre de Brasília

Em 1957, Lucio Costa ganha a competição nacional para o Plano Piloto da Nova Capital do Brasil no planalto Central, onde foi construída Brasília. A empresa fazia parte da campanha do presidente Juscelino Kubitschek para estimular o desenvolvimento do país. Brasília, que tinha sido até então uma savana árida, foi construída em apenas quatro anos. O plano piloto de Costa é constituído por dois eixos que se cruzam e que, vistos do ar, lembram um pássaro ou um avião. No eixo sul–norte ficam as zonas residenciais; no leste–oeste, os setores político-administrativo, cultural, econômico e esportivo.

Nás décadas seguintes, Costa esteve a cargo de projetos nacionais e internacionais, além de ter recebido importantes condecorações. Em 1960, a Universidade de Harvard lhe outorgou o título de Doutor Honoris Causa. O arquiteto passou os últimos anos de sua vida no Rio de Janeiro, recolhendo e publicando suas cartas, desenhos e escritos na obra autobiográfica Lucio Costa: Registro de uma vivência (1995). Ele morreu em 13 de junho de 1998, no Rio de Janeiro.

Lucio Costa foi casado com Julieta Modesto Guimarães e teve duas filhas.