Na mitologia da Grécia antiga, Afrodite era a deusa do amor e da beleza. Ela fazia parte do grupo de doze deuses que habitava o monte Olimpo. Na tradição romana, Afrodite corresponde à deusa Vênus. Seus símbolos são o pavão, a rosa, o cisne e a murta (um arbusto decorativo).

Afrodite era filha de Zeus (o principal deus do Olimpo) e de Dione, que pertencia à família dos titãs. Titãs eram gigantes que teriam governado o mundo antes dos deuses. Outra versão diz que Afrodite emergiu, já adulta, das espumas do oceano. O vento carregou-a em uma concha para a ilha de Chipre, onde ela passou a viver. Como Afrodite era filha das águas, os navegantes acreditavam que tinha o poder de acalmar ventos e tempestades marítimas.

De acordo com a lenda, deuses e homens se apaixonavam por Afrodite por causa de sua beleza. Mas ela era orgulhosa e rejeitava os admiradores. Para puni-la, Zeus obrigou-a a casar-se com Hefesto, o feio deus do fogo. Afrodite logo o abandonou para viver com o belo Ares, deus da guerra. Dessa união nasceu Eros, o deus do amor. Zeus fez, então, Afrodite se apaixonar por um lindo pastor chamado Anquises. O filho deles, Eneias, seria, segundo a tradição, o ancestral do povo romano.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.