Aksum, ou Axum, foi um poderoso império comercial que floresceu no nordeste da África há vários séculos. Aksum também era o nome da capital do reino. Atualmente, é uma cidade do norte da Etiópia.

A localização de Aksum entre o mar Vermelho e o rio Nilo ajudou a transformá-la num dos mais importantes e ricos centros comerciais da época. Entre os produtos que circulavam por seus portos estavam marfim, couro de hipopótamo, perfumes, ouro e animais.

O reino também era famoso por sua arquitetura. Na praça central da cidade de Aksum ainda estão alguns dos obeliscos de granito entalhado da época do império. (Um obelisco é uma coluna alta e estreita, com uma pequena pirâmide no topo.) Acredita-se que alguns obeliscos de Aksum estejam sobre túmulos subterrâneos dos governantes do reino.

Aksum se expandia à medida que se tornava mais poderosa. No século IV d.C., conquistou o reino de Kush, ao norte. Os soberanos de Aksum então ampliaram suas fronteiras até o sul da península Arábica, depois de cruzar o mar Vermelho. Nos séculos VII e VIII, o reino se enfraqueceu enquanto os árabes muçulmanos emergiam como um novo centro de poder.

O povo de Aksum sempre fora cristão desde o século IV. Os árabes permitiram que mantivessem a religião cristã, porque, no passado, Aksum havia dado refúgio aos seguidores do fundador do islamismo, o profeta Maomé. Atualmente, Aksum é considerada uma cidade sagrada da Igreja Ortodoxa Etíope. Aksum tem 54.000 habitantes (estimativa de 2011).

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.