A Al-Qaeda é um grupo terrorista. Os terroristas fazem uso da violência para chamar a atenção para suas ideias. Os membros da Al-Qaeda compartilham uma visão particular sobre o islamismo, que é o nome de uma religião — também conhecida como muçulmana. Eles acreditam que os Estados Unidos e outros países não muçulmanos se intrometeram nos assuntos dos países controlados por essa religião. Muitos cidadãos de países não muçulmanos já foram atacados pela Al-Qaeda.

A Al-Qaeda tem milhares de integrantes. Especialistas acreditam que o grupo mantenha operações em cerca de quarenta ou cinquenta países do Oriente Médio e de outras partes da Ásia, da Europa e da América do Norte. Um saudita rico chamado Osama bin Laden e outros combatentes deram início à Al-Qaeda no final da década de 1980. Por volta de 1996, Bin Laden instalou a sede da organização no Afeganistão.

Especialistas acreditam que a Al-Qaeda tenha planejado em 1993 o atentado ao World Trade Center, na cidade de Nova York. Também acusam a organização de bombardear embaixadas e instalações militares dos Estados Unidos em outros países.

A Al-Qaeda ficou conhecida mundialmente em 2001. No dia 11 de setembro daquele ano, a organização atacou os edifícios do World Trade Center, em Nova York, e o Pentágono (centro militar dos Estados Unidos) em Arlington, Virgínia, perto de Washington D.C.. Dezenove integrantes da Al-Qaeda sequestraram quatro aviões de passageiros dos EUA, colidiram dois deles contra as torres gêmeas do World Trade Center e o terceiro contra o Pentágono. O quarto avião caiu em um campo na Pensilvânia. Cerca de 3 mil pessoas morreram nesses ataques.

Após esses acontecimentos, os Estados Unidos enviaram soldados para o Afeganistão, a fim de prender Bin Laden e acabar com a Al-Qaeda. As forças americanas destruíram muitas bases da organização, mas Bin Laden conseguiu se esconder e não foi encontrado. A Al-Qaeda continuou com suas atividades. Bin Laden foi assassinado por forças americanas em maio de 2011, no Paquistão.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.