Albert Einstein foi um dos maiores gênios da história da ciência. Suas teorias, ou conceitos, levaram a novas maneiras de pensar o Universo.

Juventude

Albert Einstein nasceu em 14 de março de 1879, na cidade de Ulm, na Alemanha, de pais judeus. Ele não era um bom aluno, mas tinha grande interesse por matemática e ciências. Na faculdade, estudou física e matemática. Depois de se formar, em 1900, foi trabalhar num órgão público. Nesse período, continuou estudando física por sua própria conta.

Realizações científicas

Em 1905, Einstein causou grande agitação no mundo das ciências ao publicar cinco artigos científicos que mudaram, para sempre, o modo como as pessoas viam o Universo. Um desses ensaios apresentava ideias completamente novas sobre as propriedades da luz. Einstein recebeu o Prêmio Nobel da Física de 1921, principalmente em razão desse trabalho.

Em outro artigo científico, Einstein apresentou o que hoje é conhecido como teoria da relatividade, que determina que as dimensões do espaço e do tempo são relativas — ou seja, elas se alteram quando medidas por pessoas que estão se movendo em diferentes velocidades. Essa era uma ideia totalmente nova e também mudou o conceito dos cientistas sobre energia e matéria. (Matéria é tudo o que ocupa um espaço físico.)

Últimos anos de vida

Quando o partido nazista dominou a Alemanha em 1933, Einstein saiu do país. Mais tarde, foi morar nos Estados Unidos.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Einstein encorajou os americanos a construir armas nucleares, pois achava que elas seriam necessárias na defesa contra os nazistas. Os Estados Unidos construíram a primeira bomba atômica em 1945. Einstein, entretanto, não teve participação no desenvolvimento da bomba. Depois da Segunda Guerra Mundial, ele tentou evitar o uso futuro de armas atômicas. Morreu em Princeton, no estado americano de Nova Jersey, no dia 18 de abril de 1955.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.