A Alhambra é um palácio e fortaleza no sul da Espanha. O grande e imponente conjunto era a casa dos mouros muçulmanos que governaram a Espanha centenas de anos atrás.

Características

A Alhambra foi construída em um terreno plano e elevado com vista para a cidade de Granada. A Alhambra inclui o palácio e a fortaleza que o protegia, conhecida como Alcazaba. A Alcazaba é a parte mais antiga do palácio-fortaleza. Do conjunto, somente restam suas enormes paredes externas, torres e muralhas. Além do palácio e da fortaleza fica a Alhambra Alta, que era a residência dos funcionários de alto nível. A Alhambra Alta fazia parte de uma cidade real que servia como sede do governo.

Os principais pátios do palácio são o Pátio dos Arrayanes (ou da Alberca) e o Pátio dos Leões. No centro do Pátio dos Leões está a Fonte dos Leões, uma grande bacia de água apoiada em 12 leões de mármore branco.

O conjunto da Alhambra também inclui um palácio de verão conhecido como Generalife, que possui um grande pátio cercado por jardins, piscinas e fontes. Na atualidade, um teatro dentro do Generalife recebe espetáculos internacionais de música e dança.

História

Os muçulmanos, seguidores da religião do islã, invadiram o que é agora a Espanha em 711. Eles conquistaram grande parte do território e estabeleceram vários reinos separados. Por muitos anos os governantes muçulmanos lutaram contra os governantes locais. Eles construíram uma fortaleza no local da Alhambra em algum momento antes do ano 1100. Em 1238, os novos governantes do reino muçulmano de Granada fizeram da Alhambra sua residência e começaram a construir o palácio. No final do século XIII, os reinos cristãos de Castela e Aragão recapturaram a maior parte da Espanha, mas Granada permaneceu um reduto muçulmano até 1492. Nesse ano, Fernando e Isabel (conhecidos como os Reis Católicos) venceram os mouros e recuperaram o reino de Granada. Com essa vitória, consolidou-se a unificação da Espanha.

Depois de expulsar os últimos mouros, os conquistadores cristãos destruíram grande parte do interior da Alhambra. O monarca espanhol Carlos I, que reinou de 1516 a 1556, reconstruiu partes do palácio em estilo renascentista. A Alhambra sofreu danos maiores em 1812, quando as tropas francesas explodiram várias torres do palácio. Em 1821, um terremoto causou mais danos à estrutura. Uma restauração do prédio foi realizada em 1828 e continuou no século XX.

Em 1984, a UNESCO (um órgão da Organização das Nações Unidas) designou a Alhambra e o Generalife como Patrimônio da Humanidade, devido à sua importância cultural.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.