A América Latina é uma região em que se falam línguas que se originam do latim (a língua antiga dos romanos). Ela se estende do sul da América do Norte (México) até o sul da América do Sul, englobando a maior parte da América Central (estando aí incluída a maioria das Antilhas, no mar do Caribe). O espanhol, o português e o francês são línguas latinas. Embora em parte do Canadá seja falada a língua francesa, esse território não é considerado integrante da América Latina.

População

Muitos latino-americanos são mestiços de índios, europeus e africanos. A grande maioria deles fala espanhol ou português (só no Brasil). Alguns falam francês, como na Guiana Francesa, na Martinica e em Guadalupe (que são departamentos — o equivalente a províncias — da França) e no Haiti. Boa parte da população descendente de índios ainda fala suas línguas nativas. Em alguns países (Paraguai, Bolívia e Peru) elas são idiomas oficiais, ao lado do espanhol. A maioria dos latino-americanos é católica.

História

Os povos indígenas (nativos americanos, ou índios) já viviam no que é hoje a América Latina milhares de anos antes da chegada dos europeus. Entre esses povos se incluíam: maias, astecas, incas, aimarás, chibchas, guaranis, tupis, tamoios, aruaques, caraíbas e outros.

Em 1492, Cristóvão Colombo aportou nas Antilhas. Essa viagem marcou o início da colonização europeia da América. Os espanhóis conquistaram grande parte da América Latina no século XVI. Os portugueses se estabeleceram em cerca de metade da América do Sul. Muitos índios morreram lutando contra os europeus ou de doenças trazidas por eles da Europa.

A Espanha dominou o México, a maior parte da América Central — tanto no continente como nas Antilhas — e metade da América do Sul. Portugal colonizou a outra metade, que formou o Brasil. A França conquistou o Haiti, a Guiana Francesa e várias ilhas do Caribe. Milhões de europeus se estabeleceram nessas áreas. Eles trouxeram suas línguas, a religião católica e sua cultura. Os europeus também trouxeram muitos africanos escravizados para trabalhar na América.

Quase toda a América Latina obteve a independência da Europa entre 1800 e 1820. Contudo, como na parte da América colonizada pelos ingleses, a população de origem europeia continuou mantendo mais poder do que os descendentes de índios ou de africanos. Mesmo hoje, as populações de origem indígena, africana ou mestiça tendem a ser mais pobres do que as de origem europeia.

Durante muito tempo, a região caracterizou-se pela instabilidade política. Durante a década de 1980, porém, vários países passaram por um período de transição democrática e, hoje, há eleições livres em quase toda a América Latina, embora existam focos de tensão em alguns países onde grupos de tendências políticas opostas lutam pelo poder.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.