A cordilheira dos Andes, na América do Sul, é a maior do mundo. Dela fazem parte as montanhas mais altas de toda a América. Habitadas há muito tempo pelos povos indígenas, essas montanhas despertam o interesse turístico por sua beleza natural e patrimônio histórico. A região é muito importante economicamente por suas riquezas minerais.

Características

A cordilheira dos Andes se estende de norte a sul ao longo da costa oeste da América do Sul, separando uma estreita faixa de terra próxima ao oceano Pacífico do resto do continente. Os Andes têm cerca de 8.900 quilômetros de comprimento; em média, a largura da cadeia andina não ultrapassa os 320 quilômetros, exceto na Bolívia, onde alcança 640 quilômetros. A Bolívia e o Peru compartilham um planalto central elevado, chamado altiplano, entre as faixas leste e oeste. Esta é uma das regiões mais elevadas do planeta que é habitada.

Muitos picos dos Andes estão entre os mais altos do mundo. Com 6.959 metros de altura, o monte Aconcágua, na Argentina, é a maior montanha do mundo fora da Ásia.

Em grande parte da sua extensão, os Andes se elevam perto da costa do Pacífico e descem abruptamente para planícies baixas no leste. Como principal bacia hidrográfica do continente, o sistema de montanhas é a fonte de rios curtos que fluem para o Pacífico e também da maioria das nascentes dos rios da América do Sul que fluem ao leste e ao norte. A cordilheira é uma enorme barreira para o transporte. As únicas ferrovias são aquelas que conectam o Chile com as vizinhas Argentina e Bolívia.

Flora e fauna

O deserto de Atacama, no norte do Chile, é um dos lugares mais secos do mundo, mas no lado leste das montanhas as chuvas são geralmente fortes. Há exuberantes florestas tropicais na parte mais baixa dos Andes. Contudo, acima dos 5.000 metros a vegetação é quase inexistente. As onças e outros felinos da América do Sul raramente vivem acima dos 4.000 metros de altitude. O condor é um dos maiores pássaros do mundo e pode voar acima das montanhas mais altas.

População

Os primeiros habitantes dos Andes se estabeleceram há 10 mil anos. Povos indígenas ergueram cidades nos altos vales e construíram estradas no meio dos desfiladeiros. A cidade de Machu Picchu, atualmente desabitada, pertenceu ao Império Inca e é um exemplo do desenvolvimento das civilizações pré-colombianas dos Andes. Até hoje, a maior parte da população dos países andinos tem antepassados indígenas. Esses povos são o chimú, aimara, atacama, diaguita e araucano, entre outros.

Economia

A maioria dos habitantes das montanhas trabalha na agricultura. Muitos cultivos são para subsistência e comércio local, mas existe também uma produção para exportação. As pastagens naturais do planalto central são adequadas para a criação de gado. A Colômbia exporta gado e o Peru possui indústrias de laticínios e de conservas de carne. A criação de cabras, ovelhas, lhamas e alpacas é comum no Peru e na Bolívia. Esses países exportam de ovelha e de alpaca. Outros produtos que a região dos Andes exporta incluem o café (especialmente da Colômbia), o cacau, o tabaco e o algodão.

Uma grande parcela da população está empregada na mineração. A região dos Andes é uma das mais ricas do mundo em minérios. São produzidos ali cobre, aço, estanho, chumbo, zinco, prata, ouro, platina e esmeraldas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.