Antoine de Saint-Éxupéry foi um aviador e escritor francês. Era um piloto de avião que via a aventura e o perigo com os olhos de um poeta. Sua fábula moderna O pequeno príncipe (Le petit Prince, no original francês) tornou-se um clássico contemporâneo.

Como viveu o escritor

Saint-Éxupéry nasceu no dia 29 de junho de 1900, em Lyon, na França. Era de uma família aristocrática que tinha empobrecido. Estudante sem dinheiro, não passou no exame de admissão para a Escola Naval. Durante o serviço militar obteve seu brevê, que é a licença para pilotar aviões. Era o ano de 1922.

Em 1926 ingressou na Compagnie Latécoère, da cidade de Toulouse, e ajudou a criar rotas aéreas postais que abrangiam o noroeste da África e vinham até a América do Sul. Na década de 1930, trabalhou como piloto de teste e como repórter do jornal Paris-Soir. Sofreu vários acidentes.

Em 1939, apesar das limitações permanentes resultantes de acidentes aéreos graves, tornou-se piloto de reconhecimento militar. Depois da ocupação da França pelos alemães (1940), no entanto, fugiu para os Estados Unidos. Em 1943, juntou-se à Força Aérea Americana na África do Norte. No dia 31 de julho de 1944, seu avião foi derrubado numa missão de reconhecimento.

Obras

Saint-Éxupéry descobriu na aviação uma fonte de ação heroica e um novo tema literário. Suas obras exaltam as aventuras mortais como a mais alta realização da vocação humana.

No seu primeiro livro, Correio Sul, publicado em 1929, Jacques Bernis é o personagem principal, homem dos céus, piloto do correio aéreo, que morre no deserto do Río de Oro (antiga colônia espanhola na África que hoje é o Saara Ocidental). Seu segundo romance, Voo noturno, de 1931, foi dedicado à glória dos primeiros pilotos de avião e à exaltação mística que eles mostram ao enfrentar a morte no rigoroso desempenho do dever. Piloto de guerra, de 1942, é a lembrança pessoal de um voo de reconhecimento de maio de 1940, feito num espírito de sacrifício nas condições mais adversas possíveis.

Durante a Segunda Guerra Mundial, enquanto estava nos Estados Unidos, Saint-Éxupéry escreveu O pequeno príncipe, uma fábula infantil para adultos, com um lembrete delicado e grave de que as melhores coisas da vida ainda são as mais simples e de que a verdadeira riqueza é aquilo que se doa aos outros. No mesmo ano da publicação de O pequeno príncipe, 1943, também escreveu Carta a um refém, um apelo à unidade entre os franceses.

Cidadela foi sua última obra, publicada em 1948, quatro anos depois de sua morte. Nela, o escritor deixou transparecer sua tristeza e seu pessimismo crescentes em relação ao ser humano. Saint- Éxupéry acreditava que a única razão duradoura que o homem tem para viver é o fato de conservar os valores da civilização.

Morreu no dia 31 de julho de 1944, quando voava sobre o Mediterrâneo.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.