Na mitologia da Grécia antiga, Apolo era o deus da música, da saúde, da luz e da profecia (previsão do futuro). Ele era um dos doze deuses principais que as pessoas acreditavam morar no monte Olimpo. Também era considerado o deus do sol. Apolo era muito venerado pelos gregos por causa de seus papéis diversos e importantes. Mais tarde, os romanos também o cultuaram. O loureiro, o golfinho e a gralha são símbolos de Apolo.

Apolo era filho de Zeus, o rei dos deuses, e de Leto. Leto era uma titânide — isto é, fazia parte dos titãs, os gigantes que antes haviam dominado o mundo. Apolo também era irmão gêmeo de Ártemis, a deusa da caça.

Segundo a tradição, uma das primeiras coisas que Apolo fez foi matar uma cobra gigante chamada Píton. Depois de uma luta difícil, ele a matou com seu arco de prata e suas flechas de ouro.

O famoso Templo de Apolo ficava em um lugar chamado Delfos, perto de onde ele havia matado Píton. As pessoas percorriam grandes distâncias para visitar o templo. Lá chegando, falavam com uma das sacerdotisas de Apolo. Ela lhes dava um oráculo, ou uma previsão do futuro, que se dizia ter sido enviada pelo deus.

Segundo a lenda, o deus Hermes deu uma lira (um tipo de instrumento de cordas) a Apolo. Ele adorou o presente e se tornou ótimo músico. Com sua música, Apolo encantava os outros deuses nas festas do monte Olimpo.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.