A Arábia Saudita é o maior país do Oriente Médio e o maior produtor de petróleo do mundo. Sua capital é Riyad. O país tem 30.955.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 2.149.690 km2.

Geografia

A Arábia Saudita ocupa quatro quintos da península Arábica, um grande triângulo de terra entre a África e a Ásia. Faz fronteira com Jordânia, Iraque, Kuwait, Qatar, Emirados Árabes Unidos, Omã e Iêmen. O mar Vermelho se estende no oeste e o golfo Pérsico fica a leste.

Quase todo o território da Arábia Saudita é constituído por desertos. O Rub al-Khali, no sudeste, é um dos desertos mais extensos do mundo. Seu nome significa “parte vazia”. Um paredão íngreme de montanhas se ergue no oeste.

A maior parte do país tem pouca chuva, verões muito quentes e invernos amenos. Como não há lagos ou rios perenes, é preciso extrair água do subsolo.

Flora e fauna

Pequenos arbustos e ervas são as principais plantas da Arábia Saudita. Algumas gramíneas e árvores crescem no sudoeste, perto do mar Vermelho. Nos oásis, que são os raros lugares férteis nos desertos, há tamareiras.

A fauna é composta de raposas, lobos, hienas, mangustos, porcos-espinhos e babuínos. Embora em quantidade menor, gazelas, leopardos e cabritos-monteses também são encontrados no país, assim como o órix, um raro antílope branco. Entre as aves, há falcões, águias, corvos e flamingos.

População

Os sauditas compõem a maioria da população. Os demais habitantes são principalmente árabes de outros países e sul-asiáticos. Alguns africanos negros vivem na costa do mar Vermelho. O árabe é o idioma oficial.

A maioria dos sauditas vive nas cidades, das quais as maiores são Riyad e Jidda. Outras cidades importantes são Meca e Medina, as duas mais sagradas da religião islâmica. Todo ano, milhões de muçulmanos do mundo inteiro vão em peregrinação a Meca.

Quase todos os sauditas praticam essa religião. Conforme a lei islâmica, mulheres e homens ficam separados em áreas públicas. As mulheres também se cobrem com um véu negro em público. Os homens tradicionalmente usam a cabeça coberta e longos trajes brancos.

Economia

A economia da Arábia Saudita se baseia na extração e na venda de petróleo. O país também usa seu petróleo para fabricar combustíveis, produtos químicos e outros derivados. Há indústrias de cimento e de produtos metalúrgicos. Serviços, como turismo, bancos e comunicações, também são importantes para a economia.

A agricultura é limitada no país, pois só é possível plantar em oásis ou com o uso de sistemas artificiais de irrigação. Há cultivos de trigo, alfafa, tâmaras, tomates e melões, assim como criação de ovelhas, cabras e camelos.

História

As regiões costeiras da península Arábica são ocupadas há milênios. As rotas de comércio entre a África e a Ásia eram controladas pelos diferentes reinos que surgiram na região.

Surgimento do islã

Maomé, o fundador do islamismo, nasceu em Meca por volta de 570 d.C. Em 622, com 52 anos, ele se mudou de Meca para Medina, o que marca o início dessa religião. Quando Maomé morreu, em 632, a maior parte da península Arábica estava convertida ao islamismo. Nos séculos seguintes, essa religião expandiu-se bem além da península.

O Reino da Arábia Saudita

Em 1517, os turcos anexaram a península Arábica ao Império Otomano, mas exerciam pouco controle sobre ela. Poderosas famílias sauditas detinham a maior parte do poder real.

No século XVIII, a dinastia Saud ligou-se a líderes religiosos para dominar a península. No final da década de 1920, o líder Ibn Saud havia conquistado todo o território da atual Arábia Saudita. Em 1932, ele formou o Reino da Arábia Saudita. Reis sauditas continuam a governar o país no século XXI.

O petróleo

Em 1938 ocorreu a descoberta de petróleo na Arábia Saudita. O país tornou-se o maior fornecedor dessa matéria-prima para os Estados Unidos da América e o restante do mundo ocidental. Isso permitiu ao governo saudita construir muitas estradas, escolas e hospitais. A nação tornou-se uma grande potência no Oriente Médio.

Eventos recentes

O rei Fahd assumiu o trono saudita em 1982. Em 1990, o Iraque invadiu o Kuwait, país vizinho da Arábia. O rei Fahd temia que o Iraque invadisse também a Arábia Saudita e convidou os Estados Unidos e outros países a formar uma enorme força militar em seu país. Essa força militar derrotou o Iraque durante a Guerra do Golfo, em 1991.

No final da década de 1990, o rei Fahd delegou grande parte de seu poder a seu meio-irmão, o príncipe herdeiro Abdullah. Após a morte de Fahd em 2005, Abdullah tornou-se rei. O rei Abdullah fez várias reformas durante seu reinado, especialmente na área dos direitos das mulheres. Ele abriu a primeira universidade saudita a permitir que homens e mulheres estudassem juntos. Também decretou que as mulheres poderiam votar e concorrer em eleições locais a partir de 2015. O rei Abdullah morreu em 23 de janeiro de 2015 e foi sucedido por seu meio-irmão, o príncipe herdeiro Salman.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.