A Argentina é um país da América do Sul. Seu nome deriva de argentum, palavra latina que significa “prata”. É que os exploradores espanhóis, quando ali chegaram, no início do século XVI, encontraram muito minério de prata. Sua capital é Buenos Aires. É o segundo maior país sul-americano, com território de 2.780.400 km2 e uma população de 43.391.000 habitantes (estimativa de 2015).

O país está organizado como uma federação, com 23 províncias (equivalentes a estados) e uma cidade autônoma (a capital federal).

Geografia

A Argentina faz fronteira com o Chile, a Bolívia, o Paraguai, o Brasil e o Uruguai. O oceano Atlântico fica a leste. Tem quatro regiões principais: os Andes, o Norte, os Pampas e a Patagônia.

A cordilheira dos Andes acompanha a margem ocidental do país. Seu pico mais alto é o monte Aconcágua, com 6.959 metros de altura. O Norte é a região do Gran Chaco, área de terras baixas e secas, e da Mesopotâmia, entre os rios Paraná e Uruguai. Os Pampas centrais são constituídos por pastagens. A Patagônia, no sul, é uma região fria, seca e ventosa. A Terra do Fogo é um grupo de ilhas na extremidade sul do continente, que a Argentina divide com o Chile.

A maior parte do país tem clima ameno, com invernos frios e úmidos. O nordeste recebe a maior parte da chuva.

Flora e fauna

A flora da Argentina varia muito de região para região. Há florestas nos Andes, árvores retorcidas e cactos no Gran Chaco e florestas tropicais na Mesopotâmia. Nos Pampas, há gramíneas na parte úmida e cerrados na parte seca. A Patagônia tem zonas de florestas de folhas largas, estepe e deserto.

A vida animal é rica e variada. No noroeste vivem guanacos, lhamas e alpacas. Veados, macacos, onças e antas habitam o Gran Chaco e a Mesopotâmia. Manadas de gado e de cavalos vivem nos Pampas. No litoral da Patagonia habitam grandes mamíferos como lobos-marinhos, elefantes-marinhos e focas. Outros animais marinhos da região incluem a baleia-franca-austral, orcas e delfins. As espécies de aves são variadas; entre elas estão o pinguim, o cormorão, agaivota e o pombo. Outros animais que habitam a região patagônica são o zorro, o gato selvagem, o zorrilho, o tatu e a lebre patagônica ou mara. Muitos desses animais são considerados espécies ameaçadas.

População

A maior parte dos argentinos vive nos centros urbanos, especialmente em Buenos Aires. Descendentes dos povos nativos formam 10 por cento da população; desses habitantes, muitos são indígenas e outros são mestiços de europeus e índios. Mas a maioria dos argentinos tem origem europeia. O espanhol é a língua nacional. A principal religião é a católica.

Economia

Bancos e outros serviços, manufaturas e comércio são as principais atividades econômicas. O petróleo e o gás natural são os recursos naturais que impulsionam as indústrias. Os principais produtos agrícolas são: soja, cana-de-açúcar, trigo e outros cereais, carne, e vinho. Entre os produtos de exportação estão alimentos, petróleo e produtos de metal. Os turistas também levam bilhões de dólares ao país todos os anos.

História

Os povos nativos do que é agora a Argentina eram os teuelches, os querandis, os puelches, os diaguitas e os incas. Os espanhóis chegaram no início do século XVI e fundaram a colônia de Buenos Aires em 1536. Os europeus obrigaram os povos nativos a trabalhar para eles.

A Argentina fez parte inicialmente da colônia espanhola chamada Peru e depois da província que tinha o nome de Río de la Plata (Rio da Prata). Esta declarou sua independência em 1816, mas logo irrompeu uma guerra civil. Depois do conflito, uma série de ditadores, presidentes e líderes militares governou o país.

No século XX, a Argentina passou por muitos problemas econômicos e políticos. O presidente Juan Perón, eleito em 1946, e sua mulher Eva (Evita) foram muito populares entre os trabalhadores, mas os militares depuseram e exilaram Perón em 1955. Ele regressou ao país e foi reeleito em 1973, tendo como vice-presidente sua terceira mulher, Isabel (Isabelita) Perón. Com a morte de Perón, em 1974, Isabel assumiu a presidência, mas foi deposta pelo exército em 1976. O governo militar então prendeu e matou milhares de cidadãos; esse período ficou conhecido como Guerra Suja.

Em 1982, estourou uma guerra entre a Argentina e o Reino Unido por causa das ilhas Falkland (ou ilhas Malvinas). O Reino Unido venceu o conflito e manteve o domínio das ilhas. A derrota derrubou o ditador militar da Argentina. Em 1983, uma eleição pôs fim ao governo militar. Os líderes deram início a esforços para melhorar os direitos humanos e a economia. No final de 2000 e em meio a uma grave crise econômica e social, houve uma série de governos de curta duração ligados ao peronismo. Em 2003 foi eleito Néstor Kirchner, também peronista, que recuperou a governabilidade do país, estabilizando a economia. Quatro anos depois, sua esposa, Cristina Fernandez de Kirchner, tomou posse como presidenta, tornando-se a primeira mulher eleita para o cargo.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.