O filósofo grego Aristóteles (384-322 a.C.) foi um dos maiores pensadores de todos os tempos. Seus escritos abordam praticamente todas as áreas do conhecimento da Grécia antiga. A obra de Aristóteles exerceu influência sobre quase todos os campos do saber moderno.

Infância e juventude

Aristóteles nasceu em Estagira, no nordeste da Grécia, em 384 a.C. Seu pai era o médico do rei da Macedônia, país localizado ao norte da Grécia.

Aos 17 anos, ele se mudou para Atenas, onde se tornou discípulo de Platão, outro famoso filósofo grego. Aristóteles estudou na escola de Platão, chamada Academia, até a morte do mestre, em 348 ou 347 a.C. Aristóteles, então, partiu de Atenas.

Carreira

Aristóteles viveu em várias cidades da Grécia e da Macedônia, até se tornar preceptor (professor particular) do filho do rei macedônio Filipe II. O príncipe se tornaria, mais tarde, o famoso conquistador Alexandre, o Grande.

Por volta de 335 a.C., Aristóteles retornou a Atenas, onde abriu sua própria escola, o Liceu, que passou a competir com a Academia. Durante o resto da vida, Aristóteles passou a maior parte do tempo no Liceu, dedicando-se a ensinar, pesquisar e escrever.

A filosofia e a matemática eram as matérias principais na Academia de Platão. Já o Liceu de Aristóteles abordava uma gama bem maior de assuntos, entre eles biologia e história. Aristóteles ensinava caminhando sob um pórtico coberto (peripatos, em grego). Por causa desse hábito, os estudantes da Academia ficaram conhecidos como “peripatéticos”.

Ideias

Os trabalhos de Aristóteles que chegaram até nossos dias preenchem mais de 2 mil páginas impressas. Incluem estudos sobre os mais diversos temas e resultam de anotações sobre as aulas que ele ministrava no Liceu. Também podem ter sido escritos para uso dos alunos como material didático.

Aristóteles deixou estudos sobre anatomia, astronomia, geografia, biologia, física, zoologia e meteorologia. Também escreveu sobre retórica (falar em público), arte, poesia, literatura, economia, política, religião, psicologia, educação e costumes de povos estrangeiros. As reflexões de Aristóteles sobre ética (o que é certo e o que é errado) e política ainda fascinam o leitor atual.

Aristóteles inventou o estudo da lógica, ou ciência do raciocínio. Criou um tipo de argumentação lógica conhecido como silogismo. Um exemplo de silogismo: “Todo grego é humano. Todo ser humano é mortal. Logo, todo grego é mortal”. Ele acreditava que, por meio da lógica, era possível aprender tudo sobre o mundo.

As bases das ciências modernas também estão no pensamento de Aristóteles. Para ele, o conhecimento dependia da observação da natureza e do uso dos sentidos. Argumentava que toda teoria deve ser baseada em fatos. Por cerca de 2 mil anos, nenhum outro pensador superou o trabalho de Aristóteles no campo da lógica ou da zoologia.

Morte e legado

Em 323 a.C., Aristóteles deixou Atenas e recolheu-se à sua propriedade na cidade de Cálcis, na ilha de Eubeia. Morreu no ano seguinte, de uma doença no estômago.

Após a morte, a obra de Aristóteles continuou a exercer grande influência no mundo grego. Mais tarde, sábios da Roma antiga e do califado (império islâmico) difundiram parte de seus trabalhos na Europa, no Oriente Médio e no norte da África. Pensadores cristãos, muçulmanos e judeus aproveitaram as idéias do grande filósofo em seus estudos.

No início da Idade Média, o pensamento de Aristóteles foi conhecido na Europa ocidental indiretamente, por escritos romanos e árabes. Nos séculos XII e XIII, estudiosos europeus fizeram novas traduções latinas dos trabalhos originais de Aristóteles. Com isso, as ideias aristotélicas se espalharam rapidamente e logo dominaram o pensamento europeu. Essas ideias são importantes até os dias de hoje.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.