Arlequim é um personagem que tem sua origem na commedia dell’arte italiana. Esse personagem cômico, uma espécie de bobo da corte, tem características que o identificam rapidamente: faz muitas trapalhadas e é malandro, fanfarrão e preguiçoso. Às vezes, é representado como ingênuo e gentil galanteador. Arlequim ficou famoso no Carnaval devido à marchinha “Pierrô apaixonado”, de Noel Rosa e Heitor dos Prazeres, que canta o amor entre Arlequim, Pierrô e Colombina. No dicionário, Arlequim também é um substantivo comum: se alguém é chamado de “arlequim”, quer dizer que é uma pessoa irresponsável ou volúvel (muda constantemente de opinião). Além disso, é sinônimo de valentão e briguento.

A commedia dell’arte

A commedia dell’arte, também conhecida como comédia italiana ou commedia all’improviso, surgiu no século XVI na Itália e manteve-se popular na Europa até o século XVIII. Fez sucesso e ganhou versões principalmente na França e na Inglaterra. É marcada pela sátira social, ou seja, as histórias contadas criticavam os costumes da sociedade da época.

Esse tipo de comédia é marcado pelas apresentações nas ruas e nas praças públicas, pela criação coletiva dos atores e pelo improviso do elenco a partir de um roteiro definido pelo diretor. No enredo tradicional, há geralmente um casal de enamorados, que tem sua paixão impedida pelo pai da mocinha ou por um velho que quer se casar com ela. Entra em cena, então, o Arlequim, o empregado trapalhão que vai criar várias confusões em cena.

As companhias (grupos) da commedia dell’arte eram itinerantes: apresentavam-se de cidade em cidade. Os atores pediam licença para se apresentar em determinado lugarejo e ali se instalavam por um certo tempo. As encenações eram muitas vezes feitas em pequenos palcos ou até mesmo em carroças. No grupo, cada ator inventava em cena suas ações e seus diálogos (falas) tendo também como base as características principais de seu personagem. Mas, como o improviso era um dos principais ingredientes, os atores tinham que ser ágeis, respondendo rapidamente às piadas e às armações feitas pelos colegas.

Outros personagens

Assim como Arlequim, existiam outros personagens famosos na commedia dell’arte, facilmente identificáveis pelas roupas e pelas máscaras. Eles geralmente se dividiam em três grupos: o dos apaixonados, o dos velhos ranzinzas e avarentos, que faziam as vezes de patrões, e o dos empregados trapalhões.

Pantaleão, por exemplo, era um velho comerciante, galanteador e desajeitado, que facilmente se apaixonava por uma mocinha e era alvo das piadas dos empregados. Capitão era um militar cheio de pompa que posava de herói, mas era um tanto covarde e fazia parte do grupo dos velhos. Entre os casais de apaixonados estão Horácio e Isabela, que costumavam ser os filhos dos patrões. No grupo dos criados estavam Colombina e Pierrô. Colombina era esperta e sempre tirava proveito de todas as situações. Fiel a seu patrão, Pierrô (seu nome vem de Pedrolino), vivia suspirando de amor por Colombina, que era apaixonada por Arlequim.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.