Na mitologia da Grécia antiga, Atena era a deusa da guerra, da sabedoria e dos trabalhos manuais. Pertencia ao grupo de doze deuses que habitavam o monte Olimpo e é equivalente à deusa romana Minerva. A oliveira, que representa a paz, e a coruja, que representa a sabedoria, são os símbolos de Atena.

Atena era a filha favorita de Zeus, o chefe dos deuses do Olimpo. Ela teria saído da cabeça de Zeus já adulta, vestida de guerreira, com uma armadura. Ao contrário de Ares, o deus da guerra, que se envolvia nas batalhas, Atena usava a sabedoria para dar conselhos aos soldados. Ela acreditava que a guerra só deveria ser feita para proteger o povo e promover a justiça.

A origem da cidade de Atenas está ligada à deusa Atena. Conta a lenda que Zeus decidiu dar a cidade ao deus que oferecesse o presente mais útil ao povo. Posêidon, deus dos mares, ofertou uma fonte. Atena bateu no chão com o cajado, e no local brotou uma oliveira. Zeus concedeu-lhe a cidade, chamando-a de Atenas em homenagem a ela.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.