A Austrália é o único país que ocupa um território inteiro. Ela é tão grande que constitui quase sozinha uma das regiões do mundo, a Oceania. É conhecida pelo vasto Outback (área desértica no interior do país), pela Grande Barreira de Coral e pela originalidade da fauna. Sua capital é Canberra. O país tem 23.557.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 7.692.202 km2.

Geografia

A Austrália é um dos maiores países do mundo. Ela fica ao sul da Ásia, entre o oceano Índico e o Pacífico. Na sua costa sudeste fica a ilha da Tasmânia. Ao longo da costa nordeste estende-se a Grande Barreira de Coral, a maior área de recifes do mundo.

A metade oeste do território é um planalto com muitos desertos, como o Grande Deserto de Vitória. A leste do planalto fica uma área de terras baixas que se estende até a Grande Cordilheira Divisória, cadeia de montanhas na costa leste. No sudeste ficam os Alpes Australianos. Aí se situa o monte Kosciusko, ponto culminante do país, com 2.228 metros. Os rios Darling e Murray correm em direção ao sudeste.

A Austrália tem clima bastante seco. Muitas áreas têm verões quentes e invernos pouco rigorosos. Como a Austrália fica no hemisfério Sul, o verão começa em dezembro, e o inverno, em junho.

Flora e fauna

A flora da Austrália varia de acordo com a região. Nas florestas tropicais do nordeste crescem flores, palmeiras e azaleias. O leste é coberto por florestas. Eucaliptos são comuns nas regiões altas do sul e nas bordas dos desertos. Arbustos e pastagens caracterizam as regiões semiáridas.

Na Austrália vivem alguns animais exóticos que só existem ali, soltos na natureza, como grandes avestruzes, dingos (cães selvagens) e ornitorrincos (mamíferos que se reproduzem botando ovos). É australiana também a maioria dos marsupiais existentes no mundo, como os cangurus, os coalas e os ualabis (cangurus-anões). A fauna também inclui crocodilos, lagartos, serpentes, tartarugas e papagaios.

População

Mais de 90 por cento dos australianos descendem de europeus. Durante muitos anos, a Austrália atraiu imigrantes. No entanto, a entrada de não brancos era difícil. Isso mudou em 1973. Desde então, muitos asiáticos se instalaram no país. Os nativos da Austrália, ou aborígines, constituem uma parcela pequena da população.

Quase 70 por cento dos australianos são cristãos. Há um pequeno número de budistas e muçulmanos. Muitos habitantes não são religiosos.

Na região central, chamada Outback (o grande deserto do interior), o número de habitantes é pequeno. Cerca de 85 por cento dos australianos vivem em cidades do litoral. A língua oficial é o inglês.

Economia

A Austrália é um país próspero. A maior parte da população trabalha no comércio, nos serviços públicos e em fábricas. A indústria produz alimentos e máquinas, bem como produtos metálicos e químicos. O país é rico em recursos naturais (petróleo, carvão, gás natural). Além disso, as minas fornecem ferro, bauxita, cobre, opalas e safiras.

Agricultura e pesca têm pouca importância na economia australiana, mas o país é um dos maiores produtores de do mundo. A lã vem do rebanho de mais de 100 milhões de ovinos. As fazendas produzem trigo, vegetais, frutas, nozes e algodão, entre outras culturas.

História

Antes da chegada dos europeus, os aborígines viviam na Austrália há pelo menos 40 mil anos. Chegaram da Ásia em barcos ou por trechos de terra hoje cobertos pelo mar. Navegadores portugueses provavelmente aportaram na Austrália no século XVI. No século XVII, os exploradores holandeses Dirck Hartog e Abel Tasman estiveram no país. Hartog descobriu a costa oeste e Tasman percorreu a ponta sul do que é hoje a Tasmânia. Por conta dessas viagens, em 1644 os holandeses deram ao país-continente o nome de Nova Holanda. No entanto, não o colonizaram. Coube ao pirata inglês Wiliam Dampier explorar a costa oeste em duas viagens no final do século XVII. Em 1770, o capitão James Cook desembarcou no sudeste da Austrália e tomou posse do território em nome da Coroa britânica, batizando-o de Nova Gales do Sul.

Primeira expedição colonizadora

O capitão Cook julgou Nova Gales do Sul um bom local para colonização. Na época, as prisões da Inglaterra estavam superlotadas. O governo, então, decidiu mandar prisioneiros para a Austrália, iniciando uma colônia penal (local para os prisioneiros viverem).

O comando da primeira frota foi atribuído ao capitão Arthur Phillip. Eram onze navios com duzentos marinheiros, alguns colonos livres, mais de setecentos condenados, provisões e animais de criação. A viagem, realizada em condições difíceis, demorou onze meses. O desembarque, na baía que recebeu o nome de Sydney Cove, ocorreu em janeiro de 1788. Phillip foi o primeiro governador da colônia.

Condenados e colonos começaram a desbravar a terra para formar fazendas. O clima, bem diferente do da Inglaterra, obrigava-os a lutar pela sobrevivência. A chegada de novos colonos e prisioneiros tornou a colônia cada vez maior e mais forte. No século XIX, outras regiões do país começaram a ser ocupadas. Em algumas, foram criadas novas colônias penais. Em 1851, a descoberta de ouro atraiu milhares de imigrantes à Austrália. Surgiram, assim, outras colônias além de Nova Gales do Sul. Essas novas colônias receberam os nomes de Tasmânia, Austrália Ocidental, Vitória, Queensland e Austrália do Sul.

O afluxo de colonizadores quase exterminou a população aborígine. Muitos aborígines morreram de doenças trazidas pelos europeus, ou lutando por suas terras.

Independência e guerra

No final do século XIX, cada uma das seis colônias elegia sua própria assembleia de representantes. Em 1901, as colônias se tornaram estados e formaram uma federação, dotada de um parlamento nacional. Cada estado passou a ter um parlamento local. Os laços com a Grã-Bretanha foram mantidos, pois a Austrália passou a integrar a Comunidade Britânica (grupo de antigas colônias britânicas).

Quando começou a Primeira Guerra Mundial, os australianos lutaram no exército britânico. Muitos morreram na batalha de Galipoli, em 1915. A Austrália também apoiou a Grã-Bretanha durante a Segunda Guerra Mundial. Na década de 1940, o país foi atacado pelo Japão. Aviões japoneses bombardearam Darwin e submarinos alvejaram Sydney. Depois da guerra, a população cresceu rapidamente. O conflito também trouxe muitos imigrantes europeus.

Fatos recentes

Na década de 1970, a Austrália passou a se relacionar mais com os países asiáticos do que com a Europa. Muitos imigrantes chegaram desses países, e o comércio entre a Austrália e a Ásia aumentou.

Na década de 1990, os aborígines conquistaram alguns direitos. Também passaram a ser mais respeitados pelos australianos de origem europeia. No entanto, muitos ainda sofrem com a pobreza e as más condições de vida.

O ocupante do trono britânico continua sendo o chefe de estado da Austrália, e muitos australianos querem mudar essa situação. Desejam que o país se torne república, com um presidente como chefe de estado. Em 1999, contudo, a maioria da população votou contra a completa separação entre a Austrália e a Grã-Bretanha.

Os principais partidos políticos da Austrália são o Partido Trabalhista Australiano, o Partido Liberal da Austrália e o Partido Nacional. Os partidos Liberal e Nacional dividiram o poder durante boa parte da segunda metade do século XX. Em 2007, o Partido Trabalhista foi eleito, com Kevin Rudd como primeiro-ministro. Três anos depois, Julia Gillard assumiu como líder do Partido Trabalhista, tornando-se a primeira mulher a ocupar o cargo de primeiro-ministro na Austrália.

Logo após tomar posse, Gillard convocou novas eleições, que aconteceram no final de agosto de 2010. A disputa foi extremamente acirrada. Nem o Partido Trabalhista nem o Liberal ganhou a maioria na Câmara dos Representantes. Diversos membros independentes do parlamento por fim concordaram em apoiar o Partido Trabalhista, o que permitiu a Gillard formar um governo minoritário no início de setembro. Em 2013, porém, os membros do Partido Trabalhista votaram para substituí-la como líder do partido. Kevin Rudd reassumiu como líder do partido e como primeiro-ministro.

Menos de três meses depois, o Partido Trabalhista perdeu a eleição geral. Uma coligação dos partidos Nacional e Liberal, liderada por Tony Abbott, venceu a eleição. Rudd renunciou ao cargo de líder do Partido Trabalhista, porém manteve sua cadeira no parlamento.

A Austrália sofreu dois grandes desastres naturais no começo do século XXI. No início de 2009, uma série de incêndios florestais matou 173 pessoas, deixou 500 feridas e destruiu inúmeras casas no estado de Vitória. Quase dois anos depois, chuvas torrenciais causaram enchentes devastadoras em Queensland e em outros estados.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.