Durante a maior parte do século XX, a Bósnia e Herzegovina fez parte de um país chamado Iugoslávia. Uma guerra civil nos anos 1990 resultou na sua independência. A capital da Bósnia e Herzegovina é Sarajevo. O país tem 3.765.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 51.209 km2.

Geografia

A Bósnia e Herzegovina está localizada no oeste da península dos Bálcãs, na Europa central. Faz fronteira com a Croácia, a Sérvia, o Kosovo, Montenegro e o mar Adriático. A Bósnia, a maior das duas regiões da república, ocupa o norte e o centro do país. A Herzegovina ocupa o sul e o sudoeste.

A Bósnia e Herzegovina é um país montanhoso. Tem muitos rios, entre eles o Bosna, do qual o país toma o nome. Na Bósnia geralmente o clima é temperado, mas pode ser extremamente frio no inverno. Já a Herzegovina apresenta verões muito quentes.

Flora e fauna

As florestas de pinheiros, faias e carvalho cobrem cerca da metade do país. A vida selvagem inclui ursos, lobos, porcos e gatos selvagens, cabras monteses, lontras, raposas, texugos e falcões.

População

Os principais grupos étnicos são os bósnios (muçulmanos), os sérvios e os croatas. Os bósnios constituem aproximadamente 45 por cento da população; os sérvios, 30 por cento; e os croatas, 15 por cento. Os bósnios falam o idioma bósnio; os croatas se expressam em croata, e os sérvios, em sérvio. Os três idiomas são muito parecidos. A principal diferença está no alfabeto: enquanto o bósnio e o croata usam o latino, o sérvio usa o cirílico (o mesmo da língua russa).

Os sérvios são na maioria cristãos ortodoxos, enquanto os croatas são principalmente católicos. Os bósnios descendem de eslavos que se converteram à religião muçulmana quando estavam sob o domínio do Império Otomano.

Economia

Quase metade da população trabalha na indústria manufatureira e na mineração. A indústria produz cimento, aço e ferro-gusa. As minas fornecem carvão, minério de ferro e outros metais. O comércio e os serviços são outros setores importantes da economia.

A agricultura e a exploração da madeira também são importantes. Cultivam-se principalmente milho, batata, trigo, repolho, aveia, ameixa e tabaco. As ovelhas e o gado bovino se espalham em pastos que cobrem quase um quarto do território do país.

História

Nos séculos VI e VII, povos eslavos se fixaram no território em que hoje fica a Bósnia e Herzegovina. Ao longo do tempo, a região foi dominada por sérvios, croatas, húngaros, venezianos e bizantinos.

O Império Otomano conquistou a Bósnia no século XV. Grande parte da população nativa, principalmente os proprietários de terras, se converteu ao islamismo. Nos séculos XVIII e XIX, cresceram as tensões entre os proprietários de terras muçulmanos e os camponeses cristãos, que eram sérvios e croatas. Em 1875, os bósnios cristãos se revoltaram contra o domínio otomano, com o apoio da Sérvia.

Mais tarde, o Império Austro-Húngaro foi tomando conta da região aos poucos. Em 1914, um bósnio sérvio matou o arquiduque austríaco Francisco Ferdinando. Num ambiente de instabilidade política, o assassinato provocou o início da Primeira Guerra Mundial. Depois desse conflito, a Bósnia e Herzegovina tornou-se parte do Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos, do qual faziam parte também Montenegro e a Albânia. Em 1929, o país adotou o nome de Iugoslávia.

Após a Segunda Guerra Mundial, a Iugoslávia tornou-se um país comunista. Quando o governo comunista caiu, em 1989, as tensões entre sérvios, croatas e muçulmanos vieram à tona. Os bósnios estavam divididos quanto à idéia de formar uma república independente. Os bósnios croatas e os muçulmanos queriam a independência; já os bósnios sérvios se recusavam a desmembrar-se da Iugoslávia.

Logo depois que os bósnios se decidiram pela independência, em votação feita no início de 1992, eclodiu uma guerra civil entre sérvios, croatas e muçulmanos. Os combates deixaram mais de 2 milhões de pessoas sem teto e mais de 200 mil mortos.

A paz só foi assinada em 1995. A Bósnia e Herzegovina havia conquistado sua independência. Em 1996, os bósnios, os sérvios e os croatas do país elegeram três presidentes, um para cada grupo étnico importante da Bósnia e Herzegovina.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.