As Bahamas são um país constituído por um grande arquipélago e ficam na América Central, no oceano Atlântico. Sua capital é Nassau, na ilha de New Providence. As Bahamas têm 374.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 13.939 km2.

As Bahamas compreendem cerca de setecentas ilhas, mas só trinta delas são habitadas. As ilhas são baixas e planas. Não há rios. O clima é tropical, com temperaturas quentes durante todo o ano. De julho a novembro, podem ocorrer furacões.

Florestas de pinheiros, palmeiras e plantas de tabaco crescem em algumas ilhas. Nos jardins florescem jasmins, buganvílias e orquídeas. A fauna é representada por rãs, lagartos e cobras. As águas em redor do arquipélago estão repletas de peixes, mariscos, lagostins e outros animais marinhos. O pássaro nacional é o flamingo.

A maior parte da população das Bahamas descende de escravos trazidos do oeste da África. Grupos menores de habitantes são formados por cidadãos de origem britânica, haitiana e dos Estados Unidos.

A economia das Bahamas depende do turismo. Os visitantes chegam para desfrutar as praias e as águas azuis cristalinas. Outra atividade importante é a bancária. Lagostins, aves domésticas e frutas são os principais produtos agrícolas. A população também se dedica à mineração do calcário, à extração do sal do mar e à produção de rum.

O pacífico povo aruaque vivia nas ilhas antes da chegada dos europeus. Cristóvão Colombo aportou nas Bahamas em 1492 e tomou posse das ilhas para a Espanha. Trinta anos depois, os aruaques tinham desaparecido completamente das Bahamas, com a chegada de mais europeus.

Um grupo de puritanos ingleses se estabeleceu na ilha Eleuthera em 1648. O arquipélago se povoou rapidamente de fazendeiros, com seus escravos, e piratas. Com exceção de um curto domínio da ilha pelos Estados Unidos, seguido de outro breve período de controle pela Espanha, no fim do século XVIII, as Bahamas foram colônia britânica até 1973. Nesse ano, o país conquistou a independência.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.