País da América do Sul, a Bolívia tem paisagens impressionantes, com desertos, selvas e picos cobertos de neve. Sua cultura é uma mescla da influência indígena com a espanhola. A capital judiciária do país é Sucre. Mas os poderes executivo (governo) e legislativo (congresso) ficam em La Paz, capital administrativa. Com área de 1.098.581 km2, a Bolívia tem cerca de 10.303.000 habitantes (estimativa de 2014).

Geografia

A Bolívia tem fronteiras com o Brasil, o Paraguai, a Argentina, o Chile e o Peru. A oeste, a cordilheira dos Andes se estende de norte a sul em duas cadeias paralelas. O Altiplano (planalto), frio e seco, fica entre elas. Mais de metade do país se situa na região tropical, que vai do norte (floresta Amazônica) até as terras baixas do leste. O Chaco, ao sul, é pantanoso na época das chuvas, mas quente e desértico no resto do ano.

Flora e fauna

O planalto no noroeste é em parte coberto de gramíneas, em parte desértico. Densas florestas de pinheiros, loureiros e cedros recobrem as encostas das montanhas. Algumas gramíneas, arbustos e pequenas árvores que não requerem muita água crescem no sul. Mognos e seringueiras são típicos das florestas tropicais do norte.

Na fauna boliviana, destacam-se os animais da família dos camelídeos — lhamas, alpacas, guanacos e vicunhas. O maior pássaro das Américas, o condor, vive nos Andes. Nas florestas tropicais do norte habitam onças, preguiças, macacos e tapires. Papagaios e tucanos também vivem ali.

População

Atualmente, 65 por cento dos bolivianos são indígenas, principalmente dos povos aimará e quíchua. Os quíchuas são descendentes dos incas. Indígenas misturados com europeus (os mestiços) constituem 30 por cento dos habitantes do país. A parcela restante da população é branca, a maioria descendente de espanhóis. O aimará, o quíchua e o espanhol são as línguas oficiais. O catolicismo é a principal religião. Mais da metade da população mora nas cidades.

Economia

A Bolívia é um dos países mais pobres da América do Sul. Contudo, tem muitas reservas de gás natural e é grande produtora de zinco e ferro. A maioria dos habitantes trabalha na agricultura, nas fábricas e no comércio. Cultivam-se a cana-de-açúcar, a soja, o milho e a batata. Na pecuária, criam-se bois e carneiros. As principais indústrias são de alimentos, bebidas, roupas, cimento, tabaco, refino de minérios e exploração de petróleo e gás.

No leste do país, a província de Santa Cruz, que é vizinha do Brasil, enriquece como novo polo de desenvolvimento agropecuário e agroindustrial. Sua capital, Santa Cruz de la Sierra, é hoje a maior cidade da Bolívia.

História

Há milhares de anos o território da Bolívia é habitado. Um povo adiantado vivia junto ao lago Titicaca (a oeste do país) há cerca de mil anos. Depois disso, a região se tornou parte do Império Inca.

Os espanhóis conquistaram a área no começo do século XVI e integraram a Bolívia a uma região maior, que também compreendia o território onde hoje é o Peru. Minas de prata trouxeram muita riqueza à região, mas no fim do século XVIII elas se esgotaram. Os bolivianos conquistaram sua independência da Espanha em 1825. O nome da nova república foi dado em homenagem a Simón Bolívar, que ajudou o povo da região a se libertar dos espanhóis.

Após obter a independência, a Bolívia teve vários confrontos com as nações vizinhas. Durante a Guerra do Pacífico, de 1879 a 1883, perdeu para o Chile a costa que dava para o oceano Pacífico. Na Guerra do Chaco, entre 1932 e 1935, perdeu grande parte da região do Chaco para o Paraguai. O país sempre teve dificuldades para formar um governo estável. Os militares tomaram o poder várias vezes durante o século XX. Mas em 2005 o país elegeu seu primeiro presidente indígena, Evo Morales, que prometeu dar à população ameríndia uma participação maior nos assuntos da nação.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.