O Canadá é o maior país do mundo depois da Rússia. Está localizado no norte da América do Norte. Sua capital é Ottawa. O Canadá é dividido em dez províncias e três territórios. O país tem 36.017.000 habitantes (estimativa de 2015) e área de 9.984.670 km2.

Geografia

O território canadense abrange seis fusos horários e é banhado por três oceanos: Pacífico, Ártico e Atlântico. Sua quarta fronteira é com os Estados Unidos, ao sul. O estado americano do Alasca fica na fronteira noroeste canadense.

A maior região natural do Canadá é uma área rochosa e plana que cobre as áreas leste, central e noroeste do país. No oeste, as planícies se espalham do oceano Ártico até a fronteira com os Estados Unidos. O rio canadense mais longo, o Mackenzie, faz a drenagem da região noroeste. A oeste das planícies estão as montanhas Rochosas. No sul e no sudeste, as planícies são limitadas pelos Grandes Lagos e pelo rio São Lourenço. Os montes Apalaches percorrem o extremo leste.

Por ser muito grande, o Canadá possui ampla variedade climática. A maioria das regiões tem invernos muito frios e longos. As temperaturas são mais moderadas na costa do oceano Pacífico.

Flora e fauna

A formação vegetal mais comum do Canadá é a floresta de coníferas. Uma das maiores florestas de coníferas do mundo se estende do Alasca até a costa do oceano Atlântico. No sul, as coníferas se misturam com o bordo-campestre, as faias e os carvalhos. No extremo norte fica uma extensão de solo frio conhecida como tundra, na qual crescem apenas musgos, liquens e arbustos rasteiros.

Muitos dos animais selvagens canadenses moram na floresta do norte. Entre eles estão os alces, os castores, os linces, os ursos-negros, os lobos e as lebres-da-neve. Os ursos-polares, os cervos, as raposas-brancas e as corujas-da-neve vivem na tundra. Nas águas em torno da tundra vivem baleias. Os animais das planícies incluem veados e antílopes. Os peixes são abundantes nas águas canadenses.

População

Quase metade da população do Canadá é de origem britânica e cerca de um quarto tem ancestrais franceses. Grupos populacionais menores descendem de imigrantes dos Estados Unidos, bem como de países europeus ou asiáticos. Desde o início do século XXI, algumas levas de brasileiros têm sido acolhidas no Canadá, que busca atrair imigrantes qualificados. Também há pequenos grupos indígenas e de inuítes (esquimós), assim como mestiços (pessoas com ancestrais indígenas e europeus). O inglês e o francês são os idiomas oficiais.

Cerca de 75 por cento dos canadenses são cristãos, e pouco mais de 15 por cento não professam nenhuma religião. O país também tem pequenos grupos de judeus, muçulmanos, hindus e outras comunidades religiosas.

A maioria da população mora nos grandes centros urbanos e nas pequenas cidades do sul. Toronto é considerada o centro econômico do Canadá. É a maior cidade do país e fica na província de Ontário. A segunda maior é Montreal, na província do Quebec. É um porto importante e uma das maiores cidades de língua francesa do mundo. Vancouver, na província da Colúmbia Britânica, é a terceira maior cidade canadense.

Economia

A economia do Canadá se baseia nas manufaturas e no setor de serviços. Entre as muitas indústrias de serviços encontram-se as empresas financeiras, os setores imobiliário e de seguros, a assistência à saúde, a educação e o turismo. Os ramos manufatureiros mais fortes são a produção de automóveis e o processamento de alimentos, além da fabricação de produtos químicos, eletrônicos e metalúrgicos, de papel e de madeira. O país também é líder na produção de petróleo, de gás natural e de minerais.

O Canadá é um dos maiores produtores mundiais de alimentos. É conhecido pelos grãos, especialmente o trigo e as sementes oleaginosas, e por seus rebanhos suíno e bovino. A variedade de peixes é grande — salmão, arenque, bacalhau, dentre outros — e alimenta uma forte indústria da pesca.

História

Primeiros povoadores e exploração inicial

Há milhares de anos os inuítes já viviam no norte, enquanto os povos indígenas americanos habitavam o sul do que é o atual Canadá. Os vikings, do norte da Europa, chegaram ao que hoje é a Terra Nova no ano 1000 d.C., aproximadamente, porém não se fixaram no Canadá.

Em 1497, o explorador italiano Giovanni Caboto chegou ao leste do Canadá. Outros exploradores vieram em seguida. Em 1534, um francês, Jacques Cartier, entrou no golfo do São Lourenço e tomou posse da área para a França.

A Nova França

Em 1608, Samuel de Champlain fundou Quebec, a primeira colônia permanente da França no Canadá. Logo os franceses estabeleceram novos assentamentos na região e passaram a chamá-la de Nova França.

Enquanto isso, os britânicos também se interessaram pela área. Em 1670, eles formaram a Companhia da Baía de Hudson, que instalava postos comerciais em volta da baía de Hudson. Ao longo do século seguinte, a Grã-Bretanha e a França travaram guerras de disputa pelo território. Após derrotar a França na guerra de 1763, a Grã-Bretanha passou a considerar o Canadá parte do Império Britânico. Os britânicos anexaram a Nova França à colônia do Quebec.

América do Norte britânica

No final do século XVIII, a Grã-Bretanha dominava a Terra Nova, a ilha Príncipe Eduardo, a Nova Escócia, Nova Brunswick e o Quebec. Em 1791, a Grã-Bretanha dividiu o Quebec em Canadá Setentrional e Canadá Meridional.

Em meados do século XIX, o povo local começou a exigir a união dessas colônias. Em 1867, Nova Escócia, Nova Brunswick, mais o Canadá Setentrional e o Canadá Meridional (atuais províncias de Ontário e do Quebec) formaram o Domínio do Canadá. O país tinha agora seu próprio governo federal, embora a Grã-Bretanha mantivesse boa parte do controle.

Expansão para o oeste

A população canadense cresceu rapidamente durante o século XVIII. À medida que os colonizadores se deslocavam em direção ao oeste, muitos povos nativos iam perdendo suas terras. Para eles foram criadas reservas. Novas províncias e novos territórios foram surgindo. Em 1896, a descoberta de ouro no território do Yukon levou mais colonizadores para o oeste.

Independência

Em 1982, o Parlamento da Grã-Bretanha concedeu ao Canadá o direito de ter sua própria Constituição. O monarca britânico continuou como chefe de Estado, mas o Canadá finalmente passou a ser um país independente.

No início dos anos 1960, muitos franco-canadenses (descendentes de franceses do Quebec) começaram a reivindicar a separação do Canadá. “Quebec Livre” era a bandeira desse movimento. Eles queriam criar uma nação de língua francesa (francófona). Um plebiscito foi realizado em 1995, e por muito pouco a separação do Quebec não foi aprovada. Muitos franco-canadenses continuam a reivindicá-la.

Nos anos 1990, muitos povos nativos pediram ao governo a devolução de suas terras. O Canadá respondeu a essa reivindicação em 1999, destinando aos inuítes a região de Nunavut, um território que passou a ser autogovernado por esse povo. O novo território foi formado na região leste dos Territórios do Noroeste.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.