Charles Lindbergh foi a primeira pessoa a pilotar um avião sozinho atravessando o oceano Atlântico sem parar.

Charles Augustus Lindbergh nasceu em 4 de fevereiro de 1902, em Detroit, no estado de Michigan, nos Estados Unidos. Em 1920 entrou na Universidade de Wisconsin. Depois de três semestres ele saiu e entrou em uma escola de aviação em Lincoln, Nebraska, onde estudou teoria e mecânica do aviação. Naquela época, os aviões eram uma invenção recente. Ele também aprendeu a fazer manobras arriscadas em feiras, como saltar de pára-quedas e caminhar nas asas de biplanos em pleno voo. Em 1924, Lindbergh alistou-se no Exército dos Estados Unidos para ser treinado como piloto da Força Aérea. Em 1925 formou-se como mellhor piloto de sua classe. Depois que deixou o Exército, em 1926 começou a pilotar aviões dos correios entre Saint Louis, no estado de Missouri, e Chicago, no estado de Illinois.

Em 1927, Lindbergh decidiu concorrer a um prêmio por voar sem escalas de Nova York a Paris, na França. Entre os dias 20 e 21 de maio, ele completou a viagem em 33 horas e trinta minutos. Imediatamente, ele se tornou um herói tanto nos Estados Unidos quanto na Europa.

Em 1929, Lindbergh se casou com a escritora Anne Morrow. Mais tarde, ela se tornou sua copiloto e navegadora em voos ao redor do mundo. Em 1932, seu filho foi sequestrado e assassinado. O crime recebeu atenção mundial.

No começo da década de 1940, Lindbergh fez discursos pedindo que os Estados Unidos não participassem da Segunda Guerra Mundial. Porém, quando os Estados Unidos entraram no conflito, ajudou no esforço de guerra. Ele foi piloto em cinquenta missões de combate na área do Pacífico.

Depois da guerra, Lindbergh e sua família viveram tranquilamente no estado de Connecticut e depois no Havaí, onde ele morreu, no dia 26 de agosto de 1974.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.