Por muitos séculos, a Coreia foi um único estado na península da Coreia, na Ásia oriental. Na metade do século XX, a Coreia foi dividida em dois países: a Coreia do Norte e a Coreia do Sul. A Coreia do Sul (seu nome oficial é República da Coreia) ocupa a metade sul da península. Seul é a capital e a maior cidade do país. A Coreia do Sul tem 50.405.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 99.678 km2.

Geografia

A única fronteira terrestre da Coreia do Sul é com a Coreia do Norte. A fronteira oriental margeia o mar do Japão, que, na Coreia, é chamado de mar do Leste. O mar Amarelo fica a oeste e o mar da China Oriental fica ao sul. Uma grande ilha chamada Cheju situa-se ao largo da costa sudoeste.

Montanhas baixas cobrem a maior parte da Coreia do Sul. O pico mais alto é o monte Halla, na ilha de Cheju. Os três maiores rios da Coreia do Sul são o Naktong, o Han e o Kum. As terras baixas próximas aos rios proporcionam o melhor solo para a agricultura do país.

A Coreia do Sul tem invernos frios e secos. Os verões são quentes e úmidos. A costa sul é a parte mais úmida do país.

Flora e fauna

Florestas perenes (isto é, com árvores que têm folhas o ano inteiro) de camélias, cânforas e outras árvores crescem na costa sul e na ilha de Cheju. Pinheiros, carvalhos, bordos e bétulas também se desenvolvem na Coreia do Sul.

Cervos e coelhos são os animais mais comuns. Muitos tipos de aves, répteis e peixes também vivem no país. Os parques nacionais da Coreia do Sul protegem algumas plantas e animais.

População

Quase todo o povo da Coreia do Sul é de coreanos étnicos. Eles falam a língua coreana. Há também um grupo pequeno de japoneses. A maioria da população vive nas cidades e nas vilas. Muitas das cidades são densamente povoadas.

Metade da população não pratica religião alguma. Aproximadamente um a cada quatro sul-coreanos é cristão; essa mesma proporção se aplica aos budistas.

Economia

A economia sul-coreana depende de serviços e manufaturas. Entre os serviços estão bancos, educação, lojas, exército, transportes e entretenimento. Companhias imensas chamadas chaebol controlam boa parte da indústria. As fábricas produzem telefones celulares, televisões e outros eletrônicos. Também fazem carros, navios, maquinaria, tecidos, produtos químicos e muitos outros artigos.

A agricultura é a parte mais frágil da economia. O arroz é a cultura mais importante. Entre outras culturas, estão repolho, alho e frutas. Há criação de gado bovino, de frangos e de porcos, e também fazendas que se dedicam à produção de peixes criados em cativeiro.

História

Existem evidências arqueológicas de que a península da Coreia já era habitada 500 mil anos atrás, durante o período Paleolítico. Bem mais tarde, durante o período Neolítico, habitantes da Manchúria e da Sibéria migraram para a Coreia. Essas pessoas são os ancestrais da etnia coreana, e foi com elas que se desenvolveu o idioma coreano.

O antigo reino de Choson foi fundado por volta do século IV a.C., no noroeste. Em 108 a.C., Choson foi conquistado pelos chineses.

Os três reinos

Três reinos então se formaram: Koguryo, no norte; Paekche, no sudoeste; e Silla, no sudeste. Lendas coreanas dizem que esses reinos foram fundados no século I d.C., porém seu desenvolvimento se deu ao longo dos séculos seguintes.

Os três reinos lutavam com frequência uns contra os outros. No século VII, Silla uniu forças com a China, conquistando Paekche em 660 e Koguryo em 668. A maior parte da Coreia ficou então sob o domínio de Silla.

Seguiu-se um período de paz. Essa época foi marcada por grandes realizações em áreas como astronomia, medicina, fundição de metal, escultura e tecelagem. Silla e a China eram importantes parceiros comerciais.

Períodos Koryo e Choson

No século IX, Silla perdeu o controle sobre partes da Coreia. Em 936, formou-se o reino de Koryo. A dinastia Koryo governou a península coreana até 1392. Sua capital localizava-se onde hoje é Kaesong, na Coreia do Norte. Foi durante esse período que a região começou a formar suas próprias tradições culturais, diferentes das do resto da Ásia oriental.

A dinastia Koryo chegou ao fim em 1392, sendo substituída pela dinastia Choson. A capital do reino Choson ficava onde hoje é Seul, na Coreia do Sul.

Divisão em Coreia do Norte e Coreia do Sul

A dinastia Choson chegou ao fim em 1910, quando, após vários conflitos, a Coreia acabou sendo anexada pelo Japão. Os japoneses transformaram a Coreia em sua colônia e trouxeram costumes modernos, mas impuseram diversas medidas injustas e privaram os coreanos de muitos direitos. O Japão perdeu o domínio da Coreia durante a Segunda Guerra Mundial. Próximo ao fim da guerra, em 1945, a União Soviética tomou a parte norte do país. Os Estados Unidos enviaram suas forças para o sul.

A Coreia do Sul se tornou um país independente em 1948. Um mês depois, a Coreia do Norte também ganhou sua independência.

A Guerra da Coreia

Em 1950, começou a Guerra da Coreia. Os Estados Unidos e outros países enviaram exércitos para ajudar a Coreia do Sul. A China apoiou a Coreia do Norte.

Cerca de 1.800.000 coreanos morreram durante a Guerra da Coreia, que terminou em 1953 com a península ainda dividida. Desde então, as fronteiras de ambos os lados são guardadas por exércitos.

A Coreia do Sul após a guerra

No início, o governo da Coreia do Sul prendeu e matou muitas pessoas que discordavam dele. A insatisfação com a situação era grande, porém o país experimentou um forte crescimento econômico no início da década de 1960. O sistema de ensino também melhorou consideravelmente. Em 1987, o país passou por uma reforma política, e nesse mesmo ano a Coreia do Sul realizou sua primeira eleição democrática para presidente. A partir daí, o país começou a desenvolver melhores relações com outras nações.

Os líderes da Coreia do Sul e da Coreia do Norte reuniram-se pela primeira vez em 2000 e concordaram em trabalhar juntos pela reunificação e pacificação da Coreia. Porém, a tensão entre os dois países retornou alguns anos depois, devido a experiencias norte-coreanas com misseis em terras e mares muito próximos da Coreia do Sul. Em 2013, a Coreia do Norte, sob o comando de Kim Jong-un, voltou a atemorizar a Coreia do Sul, ameaçando atacá-la com mísseis.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.