A ilha de Cuba passou por muitas mudanças desde que foi descoberta por Cristóvão Colombo em 1492. Tornou-se conhecida no mundo todo por sua indústria açucareira, mas nos últimos anos sua economia tem se mostrado instável. No século XX, Cuba envolveu-se em conflitos nacionais e internacionais. Muitos deles estão relacionados à ligação do país com o comunismo, sistema político e econômico que adotou nos últimos cinquenta anos. A capital e maior cidade é Havana. O país tem 11.165.000 habitantes (estimativa de 2014) e área total de 109.884 km2.

Geografia

Cuba fica no mar do Caribe, na América Central, cerca de 145 km ao sul da Flórida (EUA). É formada por uma ilha principal longa e estreita e por mais 2 mil ilhas menores. A maior parte do país é plana, e um quarto da ilha principal é coberta por montanhas e colinas. O clima é quente o ano todo. No verão e no outono, período que compreende a estação das chuvas, o país às vezes é atingido por furacões.

Flora e fauna

Em Cuba há milhares de tipos de flores e um quinto de sua extensão é coberto por floresta tropical. Nas áreas rurais são comuns as palmeiras-imperiais. Entre os animais, encontram-se pequenos mamíferos, iguanas, sapos e escorpiões. Em suas águas vivem tubarões, peixes-bois e moluscos.

População

Cerca de 38 por cento da população de Cuba é branca, descendente de espanhóis; os negros, descendentes de escravos, formam 11 por cento; e metade dos cubanos é mestiça de negros e brancos. Os asiáticos chegam a 1 por cento. O espanhol é a língua do país. A maioria da população é católica, embora muitos pratiquem a santería (mistura de catolicismo, espiritismo e religiões africanas). Três quartos da população vivem nas cidades.

Economia

As mais importantes atividades econômicas do país são o comércio, os serviços e a indústria. Grande parte da indústria de Cuba está relacionada aos recursos naturais e agrícolas. Há criações de gado bovino. O tabaco e os produtos alimentícios estão entre os principais itens industriais. O produto mais exportado é o açúcar, além do café e de frutas tropicais. O país ainda tem minas de níquel, ferro e cobre, e suas águas fornecem muitos peixes. A indústria também fabrica produtos químicos, equipamentos de transportes e máquinas não elétricas.

História

Colombo reivindicou a posse de Cuba para a Espanha em 1492. Após os espanhóis terem começado a se estabelecer na ilha, em 1511, guerras e doenças mataram os habitantes nativos, os tainos e siboneis. Os colonizadores trouxeram da África escravos para trabalhar nas fazendas de açúcar.

Após a Guerra Hispano-Americana, em 1898 Cuba conseguiu sua independência da Espanha. Em 1902 foi estabelecida a República de Cuba. O país passou a sofrer com a instabilidade e corrupção dos governos e o alastramento da pobreza.

Em 1959, Fidel Castro derrubou o governo ditatorial de Fulgencio Batista e tomou o poder. Fez de Cuba um país comunista. Outros países comunistas, principalmente a União Soviética, apoiaram Cuba, e os cubanos esperavam que Castro resolvesse os problemas do país. Muitos cubanos que eram contra o comunismo, contudo, deixaram a ilha. Em 1961, uma força de 1.500 homens que se opunha a Castro invadiu a baía dos Porcos, a sudeste de Havana. Tentavam dominar a ilha, mas falharam.

As relações de Cuba com os Estados Unidos sofreram graças à oposição destes ao comunismo. Os americanos impuseram um embargo, ou seja, obstáculos, ao comércio com Cuba. Também ameaçaram a ilha em 1962, quando se descobriu que a União Soviética havia colocado mísseis nucleares no país. O episódio ficou conhecido como a Crise dos Mísseis de Cuba. Só terminou quando os soviéticos retiraram os foguetes.

Em 1991, a União Soviética se desmantelou, e Cuba perdeu sua mais importante fonte de auxílio. Mas Castro permaneceu no poder até 2008, quando seu irmão Raúl se tornou presidente. Raúl Castro fez algumas mudanças na economia do país, que geraram mais liberação e a retomada do turismo.

Em dezembro de 2013, um aperto de mãos entre Raúl Castro e o presidente dos Estados Unidos Barack Obama, durante uma cerimônia em memória ao líder sul-africano Nelson Mandela, despertou novas esperanças para a melhoria das relações entre Cuba e os Estados Unidos. Esse gesto simbólico trouxe frutos um ano mais tarde. Em dezembro de 2014, os dois líderes anunciaram a retomada das relações diplomáticas entre seus países depois de mais de 50 anos de relações suspensas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.