Curitiba é a capital do estado do Paraná, na região Sul do Brasil. É considerada referência mundial em planejamento urbano.

Locais de interesse

Quem se interessa por soluções criativas e tecnologia inteligente para o transporte urbano visita Curitiba. A cidade já recebeu prêmios internacionais por esse motivo. Foi a primeira a fechar uma rua ao trânsito de veículos, deixando o espaço exclusivo para a circulação de pedestres: a Rua das Flores, criada em 1971.

Um dos locais mais tradicionais de Curitiba é o Teatro Guaíra. Criado em 1912, o Guaíra sucedeu o primeiro teatro oficial do Paraná, o São Theodoro. O edifício atual do Guaíra começou a ser construído em 1952 e foi totalmente inaugurado em 1974.

A Ópera de Arame, inaugurada em 1992, é outro ponto cultural importante na cidade. Com estrutura tubular e teto transparente, é um dos símbolos de Curitiba. Lá são apresentados espetáculos de todos os tipos, do popular ao erudito.

A cidade tem um bairro, Santa Felicidade, que concentra restaurantes, bares, vinícolas e cantinas de vinho. Essa região era ponto de parada de tropeiros, nos séculos XVIII e XIX, para repouso e alimentação. Foi também ali que se concentraram os imigrantes italianos a partir de 1878, em terras que foram doadas por uma senhora chamada Felicidade Borges. O bairro ficou com seu nome.

Economia

O setor de comércio e serviços responde por grande parte da economia de Curitiba. Além disso, mais de metade das grandes empresas com sede no Paraná estão estabelecidas no município.

Curitiba destaca-se também por sua indústria, com a produção de gêneros alimentícios, minerais não metálicos, madeira, mobiliário, produtos químicos e farmacêuticos, bebidas e artefatos de pele e couro.

História

Os primeiros portugueses a chegar à região da atual Curitiba foram os bandeirantes, em busca de ouro. No final do século XVII, já havia ali um pequeno povoado, que em 1693 deu origem à Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais.

Em 1721, a vila recebeu o nome de Curitiba. Também nessa época surgiram as primeiras preocupações com o planejamento urbano. Nenhuma casa podia ser construída sem autorização do governo local e todas deviam ser cobertas com telhas. As ruas que fossem iniciadas deveriam ser continuadas para que a vila crescesse com uniformidade. O corte de árvores só podia ser feito em áreas previamente delimitadas.

No entanto, como fazia parte da capitania de São Paulo, Curitiba era uma cidade secundária, relativamente pobre e esquecida. A prosperidade só veio a partir de 1812, com os tropeiros, que conduziam gado do Rio Grande do Sul a Minas Gerais. Localizado entre esse dois destinos, o povoado teve grande incentivo econômico graças aos viajantes que precisavam de hospedagem e de gêneros básicos. Com o desenvolvimento econômico veio a emancipação do Paraná, que passou a ser província do Império do Brasil em 1853. Curitiba, já na condição de cidade, tornou-se capital da província.

Ainda no final do século XIX, a administração municipal promoveu uma intensa colonização da cidade, por meio da imigração de italianos e poloneses. Foram fundados núcleos coloniais nos arredores de Curitiba, para desenvolvimento de atividades agrícolas. Também surgiram as primeiras indústrias da região.

Na segunda metade do século XX, a cidade iniciou um plano de “humanização urbana”. As melhorias na infraestrutura municipal tinham a finalidade de melhorar a qualidade de vida da população. Foram criados corredores exclusivos para os ônibus, que passaram a funcionar como uma espécie de metrô de superfície, com estações-tubo que permitem o embarque rápido, economizando tempo. Por isso, os ônibus passaram a ser chamados de “ligeirinhos”.

Curitiba tem 1.746.896 habitantes e é o município principal da região metropolitana conhecida como Grande Curitiba, que reúne 26 cidades, totalizando 3.168.980 habitantes (censo de 2010)..

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.