O maior dos poetas italianos, Dante Alighieri é geralmente considerado junto com Shakespeare e Goethe um dos mestres universais da literatura ocidental. Sua obra-prima, La divina commedia (em português A Divina Comédia), continua sendo amplamente lida e estudada desde sua morte, há mais de seis siglos. Muitos críticos acreditam que o poema nunca foi superado, devido a sua riqueza de imagens e no poder de sua linguagem.

Dante nasceu em Florença, na Itália, em maio ou junho de 1265 em uma família de baixa nobreza. Os fatos essenciais de sua infância foram contados em sua obra La vita nuova (em português A nova vida), escrita em cerca de 1293. Um dos eventos mais importantes deste período ocorreu quando ele tinha nove anos. Naquela época, ele conheceu Beatrice Portinari, uma jovem a quem ele mais tarde dedicou a maior parte de sua poesia. Embora ele mal a conhecia, Dante amou Beatrice para o resto de sua vida. Ele finalemente teve um casamento arranjado com Gemma Donati, com quem teve quatro filhos.

Dante começou a escrever poesia em uma idade precoce. Após a morte de Beatrice, ele dedicou-se à filosofia em uma tentativa de encontrar alívio para sua dor. Seu interesse pela filosofia foi refletido em sua poesia. Ele também tornou-se ativo na política e desempenhou um papel nos conflitos políticos e militares violentos que assolaram a Itália entre dois grupos, os guelfos (divididos entre guelfos brancos e negros) e os gibelinos. Como líder dos guelfos brancos, ele assumiu um alto cargo em Florença e foi enviado como embaixador do papa a Roma, em 1301.

A vitória dos guelfos negros em Florença resultou na expulsão dos líderes dos guelfos brancos. Dante estava entre aqueles forçados ao exílio em 1302. Ele viveu em vários lugares da Itália até que finalmente ele se estabeleceu em Ravenna, onde morreu em 13 ou 14 de setembro de 1321. Uma pequena tumba em Ravenna possui os restos do poeta.

O verdadeiro monumento de Dante é sua obra A Divina Comédia, que ele escreveu durante seu exílio, embora as datas exatas são incertas. Ele a intitulou La commedia (em português “A Comédia”) porque termina triunfante no paraíso. A palavra divina foi incluida no título da obra só por volta do século XVI. O poema, de conteúdo teológico, está dividido em três partes e narra uma viagem imaginária do poeta pelo Inferno, Purgatório e Paraíso. A viagem começa na Sexta-feira Santa do ano de 1300 e termina no domingo depois da Páscoa. O poeta romano Virgílio é seu guia no inferno e purgatório, e sua amada Beatrice, no paraíso. O poema tem centenas de personagens a quem Dante encontra ao longo do caminho. A maioria desses personagens são pessoas reais do passado e do próprio presente do poeta.

Dante também escreveu várias obras em prosa teórica sobre filosofia moral, política e retórica. Em algumas delas, ele defendeu a criação de uma língua italiana literária comum sobre os muitos dialetos italianos ou latinos. Na época de Dante quase todas as obras literárias eram escritas em latim, a língua do clero. Seu uso do italiano em A Divina Comédia influenciou o curso da literatura européia e ajudou a estabelecer o italiano como a língua literária da Europa ocidental por mais de 300 anos.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.