Estácio de Sá foi o fundador da cidade do Rio de Janeiro. Era um militar português e comandou as forças que expulsaram, em 1567, os franceses instalados na baía da Guanabara.

Estácio de Sá pertencia a uma família de fidalgos de Portugal. Foi lá que ele nasceu, em 1520. Em 1558, seu tio, Mem de Sá, foi nomeado governador-geral do Brasil. Estácio veio com ele. Uma das missões do novo governador era expulsar os franceses que haviam fundado uma colônia, a França Antártica, na entrada da baía da Guanabara. Estácio de Sá tomou parte na luta contra eles. Na primeira tentativa, os portugueses não conseguiram vencer os invasores franceses.

Diante do insucesso, o governador Mem de Sá enviou o sobrinho de volta a Portugal, em busca de reforços. Em 1563, Estácio de Sá retornou ao Brasil como comandante de uma expedição militar. Após recrutar tropas nas capitanias de São Vicente e Espírito Santo, chegou à baía da Guanabara no primeiro dia de março do mesmo ano. Ali, na ilha Cara de Cão, entre o Pão de Açúcar e o morro de São João, lançou as bases de um povoado a que deu nome de São Sebastião, em homenagem ao rei de Portugal da época.

Durante cerca de dois anos, Estácio de Sá e seus soldados resistiram aos ataques de franceses e tamoios (indígenas aliados aos invasores). No início de 1567, com a chegada de reforços mandados pelo governador Mem de Sá, os portugueses passaram à ofensiva. No dia 20 de janeiro, os franceses foram definitivamente batidos na região do outeiro da Glória. Durante os combates, Estácio de Sá foi atingido no rosto por uma flecha envenenada. Um mês depois, morreu em consequência do ferimento.

Transferida por Mem de Sá para o continente (local onde existia o antigo Morro do Castelo), a modesta povoação fundada em 1565 por Estácio de Sá se transformaria, com o passar do tempo, na maravilhosa cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.