A República das Filipinas é um país do sudeste da Ásia, no oeste do oceano Pacífico, composto de mais ou menos 7.100 ilhas. Sua capital é Manila. O país tem 99.866.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 300.000 km2.

Geografia

O mar da China Meridional se estende a oeste e ao norte das Filipinas, e o mar das Filipinas, a leste. Os vizinhos mais próximos das Filipinas são Taiwan, Indonésia e Malásia.

Onze ilhas grandes ocupam mais de nove décimos do território filipino. As duas maiores são Luzon, no norte, e Mindanao, no sul. A maioria das ilhas filipinas é montanhosa, e o monte Apo, em Mindanao, é o pico mais alto do país. Algumas das montanhas são vulcões ativos.

O clima das Filipinas é quente e úmido, com estações chuvosa e seca. Os terremotos e tufões (tempestades semelhantes a furacões) são comuns na região.

Flora e fauna

As florestas das Filipinas têm lauã (mogno filipino) e outras árvores. Há manguezais nas ilhas, onde também crescem variedades de capim, de plantas com flores e de samambaias. A fauna inclui macacos, cervos, búfalos, gatos-almiscarados, morcegos, porcos selvagens e cobras venenosas.

Habitantes

Os habitantes das Filipinas são chamados filipinos. Quase todos os filipinos são de etnia malaia; seus ancestrais vieram da península Malaia, no sudeste da Ásia. Alguns dos filipinos de origem malaia também têm ancestrais espanhóis ou americanos. Há pequenos grupos de chineses e mestiços de malaios e chineses. Os negritos, habitantes originais das ilhas, formam parte muito pequena da população atual.

A população também se divide em grupos linguísticos. Os grupos maiores falam os idiomas tagalo, cebuano, ilocano e ilongo. Muitos filipinos falam inglês e filipino (uma forma de tagalo) como segundas línguas.

A maioria dos filipinos é católica. Mais da metade da população vive em cidades, principalmente na ilha de Luzon.

O país emergiu como um líder regional em educação durante o final do século XX, com escolas públicas e um sistema universitário bem estabelecidos; no início do século XXI as Filipinas tinham uma das maiores taxas de alfabetização da Ásia.

Economia

O setor de serviços e o manufatureiro são partes importantes da economia; os serviços abrangem transportes, saúde e educação. As indústrias filipinas produzem alimentos, eletrônicos, roupas, produtos químicos e artigos de madeira. O crescimento industrial no final do século XX contribuiu para a degradação severa do meio ambiente.

Rico em recursos, o país tem o potencial de construir uma economia industrial forte, mas permanece em grande parte agrícola. Os filipinos plantam arroz e milho e criam porcos, galinhas e cabras para sua própria alimentação. Os produtos plantados para serem vendidos a outros países são o coco, a cana-de-açúcar, a banana e o abacaxi. A pesca é outra fonte de alimento e de dinheiro.

História

Os antepassados do povo negrito viviam nas ilhas cerca de 50 mil anos atrás. Os malaios começaram a chegar há cerca de 2 mil anos.

No século XVI, a Espanha conquistou as ilhas. No final do século XIX, os filipinos começaram a lutar para se libertar dos espanhóis. Enquanto isso, a Espanha combatia os Estados Unidos na Guerra Hispano-Americana de 1898. Depois de a Espanha ser derrotada na guerra, os Estados Unidos tomaram as Filipinas.

Os filipinos combateram os Estados Unidos, mas foram derrotados. Os Estados Unidos moldaram o governo, a economia e a cultura das ilhas até a década de 1940. Durante a Segunda Guerra Mundial, os japoneses dominaram as ilhas. As Filipinas conquistaram sua independência plena após a guerra, em 1946.

Ferdinando Marcos tornou-se presidente em 1965 e governou com a ajuda dos militares. Na eleição presidencial de 1986, Marcos foi derrotado por Corazón Aquino, que conduziu o país de volta à democracia. Mas as Filipinas continuaram a enfrentar problemas econômicos, governamentais e relacionados a grupos terroristas.

As Filipinas também já enfrentaram muitas catástrofes naturais. Uma das piores foi um ciclone tropical que atingiu o país em novembro de 2013. O supertufão Haiyan varreu diversas ilhas e matou milhares de pessoas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.