A Gâmbia, cuja capital é Banjul, é o menor país independente da África e situa-se na costa ocidental do continente. A população da Gâmbia é de 2.023.000 habitantes (estimativa de 2015) e sua área é de 11.632 km2.

Geografia

A Gâmbia ocupa uma estreita faixa de terra, com 475 km de comprimento, mas apenas entre 24 e 48 km de largura. Com exceção do curto litoral banhado pelo oceano Atlântico, o país é todo cercado pelo Senegal. O rio Gâmbia atravessa o país na direção oeste, desaguando no Atlântico. O clima é quente, com uma longa estação seca por ano.

Flora e fauna

Uma savana com árvores esparsas cobre a maior parte do país. Mangues, palmeiras, cedros, mognos e árvores da família das figueiras crescem junto ao rio. A fauna compreende leopardos, javalis, macacos, antílopes, crocodilos e hipopótamos.

População

Os malinqués (ou mandingas) constituem em torno de 35 por cento da população. Os fulanis, os uolofes, os diolas e os soninqués são outros grupos étnicos importantes. A língua oficial é o inglês, mas o uolofe e o mandinga são falados por muitas pessoas. Quase todo o povo segue o islamismo. Grande parte da população vive nas áreas rurais.

Economia

Os gambianos, em sua maioria, são pequenos proprietários e trabalhadores rurais que plantam seu próprio alimento. As culturas principais são painço, amendoim, arroz, milho, sorgo e vegetais. O produto de exportação mais importante é o amendoim. O turismo e o transporte marítimo também contribuem muito para a economia.

História

Os malinqués e os uolofes desenvolveram reinos na área antes da chegada dos portugueses, que ocorreu em meados do século XV. A Grã-Bretanha assumiu o domínio da região no final do século XVIII e fez da Gâmbia um mercado fornecedor de mão de obra escrava até o início do século XIX.

A Gâmbia conquistou a independência apenas em 1965. De 1982 a 1989, uniu-se ao Senegal para formar a Confederação da Senegâmbia. Em 1994, num golpe, os militares derrubaram o governo da Gâmbia, mas dois anos depois foram realizadas eleições presidenciais que restabeleceram a democracia.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.