O pequeno Gabão é um dos países mais ricos da África, graças a suas imensas reservas de petróleo, manganês, ferro e urânio. A capital do país, e sua maior cidade, é Libreville. O Gabão tem 1.711.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 267.667 km2.

Geografia

O Gabão se situa ao longo da linha do equador, na costa oeste da África. Faz fronteira com a Guiné Equatorial, Camarões e a República do Congo, e é banhado pelo oceano Atlântico. Uma baixa planície costeira eleva-se em direção ao interior, onde existem planaltos e montanhas. O rio Ogooué corre pelo centro do país. O clima é quente e úmido durante todo o ano.

Fauna e flora

Uma densa floresta tropical cobre a maior parte do Gabão. Entre os animais selvagens encontrados no país contam-se antílopes, macacos, gorilas, pássaros tropicais e elefantes.

População

Existem mais de quarenta grupos étnicos no Gabão. Os fangs formam a maior etnia. Pequenos grupos de pigmeus vivem na floresta tropical. O povo do Gabão fala vários dialetos distintos de banto, mas o francês é a língua oficial. A maioria da população é católica e vive nas cidades.

Economia

Até a descoberta de petróleo na costa do país, na década de 1970, a economia do Gabão dependia da madeira e do manganês. Seu subsolo é também rico em ferro e urânio. A agricultura emprega cerca de 40 por cento dos trabalhadores. Muitos agricultores produzem apenas o suficiente para alimentar suas famílias. As colheitas incluem pacová, inhame, cana-de-açúcar e mandioca.

História

Pigmeus e bantos viviam no Gabão quando navegantes portugueses chegaram, em 1472. Os portugueses e outros europeus usaram a costa do Gabão para comerciar escravos. Em 1849, a França fundou Libreville (que significa “Cidade Livre”) para abrigar escravos libertos. Em 1886, o Gabão tornou-se colônia francesa. O país conquistou a independência em 1960, mas manteve fortes laços com a França.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.