Gilberto Freyre foi um escritor e cientista social pernambucano. Sua obra é considerada importante porque analisou a importância da mestiçagem na formação do Brasil e com isso mudou a visão dos estudiosos sobre o papel do “jeito de ser” brasileiro no mundo contemporâneo. Seus livros ajudam o brasileiro a compreender sua história e a sua formação.

A vida do escritor

Gilberto de Mello Freyre nasceu na cidade de Recife, capital de Pernambuco, no dia 15 de março de 1900. Era filho de um professor universitário e frequentou, em sua cidade natal, o Colégio Americano Gilreath. Quando tinha 18 anos foi para os Estados Unidos. Estudou nas universidades Baylor e Columbia, onde obteve o título de doutor em ciências políticas, jurídicas e sociais.

Prosseguiu os estudos em universidades e museus da Europa (Inglaterra, Alemanha e França). De volta ao Brasil, desenvolveu intensa atividade como escritor, jornalista e conferencista, tornando-se líder de uma nova geração de intelectuais. Ao mesmo tempo, manteve intenso intercâmbio com universidades e sociedades científicas do exterior, aperfeiçoando seus estudos.

Foi eleito deputado federal por Pernambuco (1946-1950), mas abandonou a política partidária. Em 1949 representou o Brasil na Assembleia-Geral das Nações Unidas. Seus livros são editados em vários países: França, Estados Unidos, Espanha, Japão, Alemanha, Suécia. Além disso, são estudados em importantes universidades — Columbia (em Nova York) e Sorbonne (em Paris), por exemplo. Distinguido com inúmeros prêmios e homenagens nacionais e internacionais, Gilberto Freyre é considerado um dos mais importantes pensadores brasileiros. Morreu em Recife, no dia 18 de julho de 1987.

Obras

Gilberto Freyre escreveu muitos livros. Entre eles destacam-se Casa-grande e senzala (1933), Sobrados e mocambos (1936), Nordeste (1937), Interpretação do Brasil (1947) e Ordem e progresso (1959). Deixou ainda um volume de poemas (Talvez poesia) organizado por amigos em 1962. Sua última obra publicada em vida foi O brasileiro entre outros hispanos, de 1975.

Características

Gilberto Freyre estudou muito e tinha uma visão generosa da alma brasileira. Com essas qualidades, ele revolucionou os estudos socioculturais no Brasil. É que muitos dos especialistas antes dele consideravam que a mistura de raças característica do povo brasileiro era um fator de atraso. E Gilberto Freyre disse o contrário. Ele achou que aí é que estava a riqueza do povo brasileiro. Alguns críticos o acusaram de encobrir o preconceito de cor ao sugerir a convivência racial pacífica no Brasil.

Gilberto Freyre influenciou romancistas como José Lins do Rego, Raquel de Queirós, Jorge Amado e outros, lançando as bases sociológicas do chamado “romance nordestino”. Ele foi também pioneiro no uso “brasileiro” da língua portuguesa, antes muito presa às expressões do português de Portugal.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.