Na Antiguidade, a Grécia foi um centro de ciência, filosofia e arte. No século XX, o país se envolveu em guerras e sofreu várias mudanças de governo. Hoje, a Grécia é membro importante da União Europeia (UE). Sua capital, e também a maior cidade, é Atenas. O país tem 10.932.000 habitantes (estimativa de 2014) e ocupa uma área de 131.957 km2.

Geografia

Localizada no sudeste da Europa, a Grécia tem uma porção continental e cerca de 2 mil ilhas. Sua parte continental tem fronteira com a Albânia, a Macedônia, a Bulgária e a Turquia. Os mares Jônio, Mediterrâneo e Egeu rodeiam o país.

Cerca de 80 por cento da Grécia se constitui de montanhas. Os montes do Pindo estendem-se de norte a sul na parte setentrional. O pico mais alto do país, o monte Olimpo, fica no leste e tem 2.917 metros de altura. Os verões são quentes e secos, e os invernos são amenos e chuvosos. São comuns os terremotos.

Flora e fauna

Mais de um quarto da Grécia é constituído por florestas. As montanhas do norte têm florestas de castanheiros, freixos e faias. Abetos e pinheiros crescem nas encostas mais altas. Há também carvalhos perenes e ciprestes, assim como arbustos de zimbro, murtas e espirradeiras.

Ursos, lobos, gatos selvagens, javalis, linces e veados vivem nas florestas das montanhas. No sul há chacais, cabras monteses e porcos-espinhos. Entre as aves da Grécia destacam-se a garça, a cegonha e o pelicano.

População

Os gregos nativos constituem mais de 90 por cento da população. O restante é formado por macedônios, albaneses, turcos e outros, mas o governo grego não os vê como grupos separados. Quase toda a população fala o grego moderno, uma língua semelhante à antiga. A maioria das pessoas pertence à Igreja Ortodoxa Grega, um ramo do cristianismo. Os muçulmanos são minoria. Mais da metade da população vive nas cidades.

Economia

O principal setor econômico grego é o de serviços, sobretudo os bancários e os ligados ao turismo e à marinha mercante. Todo ano as belezas naturais e as ruínas antigas da Grécia atraem mais de 10 milhões de turistas.

A indústria também é importante para a economia. Há fábricas de alimentos e bebidas, de produtos químicos, máquinas, roupas, derivados do petróleo e outros bens. O país tem minas de bauxita, a matéria-prima necessária à fabricação do alumínio, e tem também indústrias de alta tecnologia e de telecomunicações.

O papel da agricultura na economia não é tão importante. No entanto, a Grécia é famosa pelo vinho e pelo azeite de oliva, produzidos com suas uvas e azeitonas. Esses frutos, assim como a laranja e o limão, crescem nas regiões costeiras quentes. Entre as outras culturas destacam-se a beterraba, o trigo, o milho, o tomate e o tabaco. As regiões montanhosas são aproveitadas principalmente para a criação de carneiros e cabras. A indústria pesqueira também fornece alimento para os gregos.

No final do século XX, a Grécia enfrentou diversos problemas econômicos. Apesar dessas dificuldades, em 1981 o país foi admitido na organização que mais tarde se tornou a União Europeia (UE).

No final de 2009, a economia da Grécia entrou em declínio. Essa crise foi em parte causada pelo enfraquecimento financeiro que atingiu economias do mundo todo em 2008 e 2009. Porém, além das dificuldades relacionadas à situação internacional, a Grécia também tinha seus próprios problemas graves, sendo o principal deles uma enorme dívida por parte do governo. Em março e abril de 2010, a União Europeia e o FMI (Fundo Monetário Internacional) intervieram, aplicando à Grécia dois grandes pacotes de resgate que exigiram diversas medidas de austeridade.

História

A Grécia passou a integrar o Império Bizantino no final do século IV. (Para a história dos primórdios desse país, veja o artigo Grécia antiga.) Apoiados pela Grã-Bretanha, pela França e pela Rússia, os gregos declararam sua independência em 1829.

Unificação

O novo estado não abrangeu toda a área da Grécia antiga, mas durante o século XIX e inícios do século XX o país readquiriu o controle de grande parte do seu território histórico. Em 1912-1913, os gregos, juntamente com a Sérvia, a Bulgária e Montenegro, lutaram contra a Turquia. Essa foi a Primeira Guerra dos Bálcãs. Em 1913, na Segunda Guerra dos Bálcãs, a Grécia aliou-se à Sérvia para lutar contra a Bulgária. Esses confrontos devolveram aos gregos o controle sobre Creta e grande parte do território continental.

Guerras contra a Turquia

Em 1917, a Grécia entrou na Primeira Guerra Mundial, lutando do lado da aliança formada por Inglaterra, França e Rússia. A Turquia combateu do outro lado, integrado por Alemanha, Império Austro-Húngaro e Império Otomano. As lutas entre Grécia e Turquia prosseguiram até bem depois do fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918. Em 1919, o país havia conquistado uma quantidade significativa do território turco, inclusive a cidade de Esmirna, na Ásia Menor. Em 1921-1922, a Grécia e a Turquia travaram outra guerra, mas dessa vez os gregos saíram derrotados e tiveram de devolver grande parte dos territórios tomados anteriormente.

Segunda Guerra Mundial e guerra civil

Em 1941, durante a Segunda Guerra Mundial, a Alemanha nazista invadiu a Grécia. Seu exército só se retirou do país em 1944.

Depois da Segunda Guerra Mundial ocorreu uma guerra civil, na qual se confrontaram forças comunistas e anticomunistas. Muitos gregos apoiavam os comunistas, que haviam tido papel importante na guerra contra os nazistas. Preocupados com a expansão do comunismo, os Estados Unidos e a Inglaterra apoiaram as forças anticomunistas, que acabaram ganhando a guerra em 1949.

A Grécia no pós-guerra

Depois da guerra, problemas políticos dificultaram a reconstrução do país. Em 1967, um grupo de oficiais do exército tomou o poder. O governo militar permaneceu até 1974, quando foi eleito um governo democrático. Naquele ano, a Grécia e a Turquia estiveram prestes a entrar em guerra por causa do controle da ilha de Chipre.

A Grécia teve disputas com outros vizinhos também. No início do século XXI trabalhou para resolver esses problemas e reforçar a sua adesão à União Europeia. No final de 2009, no entanto, o país enfrentou graves problemas econômicos, que ameaçavam afetar outros países da Europa por causa de sua ligação com a União Europeia. Em maio de 2010, o governo grego tentou resolver a crise com o aumento de impostos e o corte de programas sociais. As medidas levaram a protestos maciços.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.