Foi com a Guerra de Independência dos Estados Unidos (também chamada de Revolução Americana) que as treze colônias da Grã-Bretanha na América do Norte conquistaram sua independência, tornando-se um novo país, os Estados Unidos da América. A guerra começou em 1775 e terminou em 1783.

Antecedentes

Antes da década de 1760, as colônias gozavam de muita liberdade, apesar de estar sob o domínio da Grã-Bretanha. A sede do governo britânico ficava do outro lado do oceano Atlântico, a mais de 5.000 quilômetros de distância. As colônias tinham seus próprios líderes e aprenderam a resolver seus problemas sozinhas. E, pelo fato de frequentemente estar em guerras na Europa, a Grã-Bretanha nem sempre dava muita atenção às colônias.

Na década de 1760, porém, o governo britânico tentou intensificar seu controle sobre as colônias. Uma das principais razões dessa mudança de atitude foi a guerra contra os franceses na América do Norte. A Grã-Bretanha derrotou a França em 1763, mas o conflito teve um custo muito alto. Depois disso, a Grã-Bretanha decidiu que suas colônias americanas deveriam ajudar a pagar as dívidas dela.

Impostos

Para levantar dinheiro, ela obrigou as colônias a pagar novos impostos. Em 1765, os legisladores britânicos, reunidos no Parlamento, aprovaram a Lei do Selo, que impunha a cobrança de um imposto sobre documentos legais, jornais e outros artigos impressos. Os habitantes das colônias protestaram contra esse imposto. Ficaram especialmente revoltados porque estavam sendo taxados pelo Parlamento, apesar de não contarem com representantes nele. Diante dos protestos, o governo britânico revogou o imposto em 1766.

Em 1767, porém, um funcionário britânico chamado Charles Townshend convenceu o Parlamento a aprovar várias leis tributárias novas. As Leis Townshend impuseram impostos sobre o chá, o chumbo, a tinta, o papel e o vidro que chegavam aos portos coloniais. Isso deixou os colonos ainda mais revoltados.

O Massacre de Boston e a Festa do Chá

O governo britânico enviou soldados a Boston, em Massachusetts, para impor a ordem. Em 5 de março de 1770, soldados britânicos dispararam tiros contra a multidão, matando um homem chamado Crispus Attucks e vários outros americanos. O acontecimento ficou conhecido como Massacre de Boston.

No mesmo dia do Massacre de Boston, o Parlamento revogou a maioria das Leis Townshend — mas manteve o imposto sobre o chá. Então, em 1773, a Grã-Bretanha aprovou uma lei que autorizava uma empresa britânica a vender chá a preços inferiores aos dos comerciantes das colônias. Em 16 de dezembro de 1773, colonos americanos subiram em navios britânicos ancorados no porto de Boston e atiraram suas cargas de chá no mar. O episódio ficou conhecido como Festa do Chá de Boston.

“Leis Intoleráveis”

O governo britânico aprovou, em seguida, leis ainda mais duras, que os colonos chamaram de “Leis Intoleráveis”. A mais dura delas impunha o fechamento do porto de Boston até que os colonos pagassem pelo chá que haviam destruído. Massachusetts foi colocada sob governo militar.

Os colonos perceberam que as colônias precisavam agir em conjunto. Em 1774, representantes de todas as colônias, menos a Geórgia, se reuniram em Filadélfia, na Pensilvânia, num encontro que ganhou o nome de Congresso Continental. Os representantes das colônias pediram que a Grã-Bretanha revogasse as Leis Intoleráveis. O governo britânico reagiu enviando ainda mais tropas.

Primeiras batalhas

Diante de tudo isso, muitos colonos já pensavam que seus problemas com a Grã-Bretanha não poderiam ser resolvidos por meios pacíficos. Eles se prepararam para lutar e formaram grupos de soldados chamados minutemen (“homens-minuto”), milicianos que deviam estar prontos para combater “com apenas um minuto de aviso prévio”.

Em abril de 1775, a Grã-Bretanha enviou uma força para expropriar os suprimentos militares dos colonos da cidade de Concord, em Massachusetts. Os americanos Paul Revere e William Dawes percorreram a região a cavalo para avisar os colonos da chegada iminente dos soldados britânicos. Em 19 de abril, um grupo de minutemen enfrentou os britânicos em Lexington, uma cidade no caminho de Concord. Após breve combate, os britânicos avançaram para Concord. Outro grupo de soldados americanos os forçou a recuar. As batalhas de Lexington e de Concord deram início à Guerra de Independência dos Estados Unidos.

O Segundo Congresso Continental se reuniu em Filadélfia em maio de 1775 e uniu as forças militares das colônias, formando o Exército Continental. George Washington foi designado para o comando do exército e passou meses preparando suas tropas.

Porém, antes que essas forças estivessem prontas, aconteceu a primeira grande batalha da guerra, em Bunker Hill, perto de Boston. Os britânicos capturaram Bunker Hill em 17 de junho de 1775, mas perderam tantos soldados que os colonos se declararam vitoriosos. A batalha deu mais ânimo aos colonos.

Lutando pela independência

Até 1776, a maioria dos colonos não queria libertar-se da Grã-Bretanha — apenas desejava que ela se mostrasse receptiva às suas queixas. À medida que os combates se ampliaram, porém, mais colonos passaram a convencer-se da necessidade de separação da Grã-Bretanha. Em 4 de julho de 1776, o Congresso Continental aprovou a Declaração de Independência. Nos termos desse documento, as treze colônias se tornaram os Estados Unidos da América.

Os americanos lutaram contra um exército britânico maior e mais bem equipado. No verão e no outono americanos de 1776, os britânicos expulsaram as tropas de George Washington de Nova York. Forçados a recuar, os americanos atravessaram Nova Jersey e chegaram até a Pensilvânia. Mas as forças britânicas foram derrotadas em Trenton e Princeton, em Nova Jersey. Essas vitórias mantiveram viva a luta pela independência.

O momento de virada na guerra foi a batalha de Saratoga, em Nova York. Em 17 de outubro de 1777, o general Horatio Gates liderou o Exército Continental em uma grande vitória sobre os britânicos. A vitória ajudou a atrair os franceses para a guerra, ao lado dos americanos. A França então enviou navios e soldados.

O inverno de 1777-1778 foi duríssimo para os americanos. George Washington e suas tropas montaram acampamento em Valley Forge, nas proximidades de Filadélfia, e sofreram terrivelmente com a fome e com doenças. No entanto, com a chegada da primavera, emergiram como a força combatente mais forte, derrotando os britânicos em Monmouth, em Nova Jersey, no dia 28 de junho de 1778.

As batalhas finais

Nos últimos anos da guerra, a maior parte dos combates se deu no sul dos Estados Unidos. Em 1780, os britânicos, sob o comando do general Charles Cornwallis, venceram algumas batalhas na Carolina do Sul. Porém, no ano seguinte, as forças americanas e francesas encurralaram Cornwallis em Yorktown, na Virgínia. Cornwallis se rendeu em 19 de outubro de 1781. A guerra chegara ao fim.

A paz foi assinada em 3 de setembro de 1783, em Paris, na França, no chamado Tratado de Paris. Com sua assinatura, a Grã-Bretanha concordou com o fato de que os Estados Unidos eram um país independente.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.