Na Guerra dos Bôeres, colonos holandeses e ingleses lutaram pelo controle da atual África do Sul. A guerra durou de 11 de outubro de 1899 a 31 de maio de 1902.

Antecedentes

Em 1652, a Companhia Holandesa das Índias Orientais fundou um assentamento no cabo da Boa Esperança, na extremidade sul da África. A companhia incentivou agricultores holandeses, conhecidos como bôeres, a fixar-se na região. Os bôeres faziam uso de mão de obra escrava.

A Grã-Bretanha passou a dominar a região do cabo em 1806 e fundou colônias ali. Os britânicos aboliram a escravidão por volta de 1833. Insatisfeitos com o domínio britânico, cerca de 12 mil bôeres foram para o interior do país e fundaram duas repúblicas próprias, chamadas Transvaal e Orange.

Algum tempo depois, ouro e diamantes foram encontrados nas repúblicas dos bôeres. Outras pessoas se dirigiram então para lá, a fim de tentar fazer fortuna. Os recém-chegados se revoltaram contra o governo bôer, recebendo ajuda dos britânicos. Embora a revolta tenha fracassado, ela provocou a ira dos bôeres, que reforçaram suas defesas e, em 1899, atacaram as colônias britânicas, dando início à Guerra dos Bôeres.

Acontecimentos da guerra

Em dezembro de 1899, os bôeres tomaram três cidades britânicas importantes. Nos anos seguintes, depois de reconquistar as cidades capturadas, as tropas britânicas tomaram as cidades bôeres de Bloemfontein, Joanesburgo e Pretória.

Perto do fim da guerra, os bôeres passaram a formar bandos pequenos, que lançavam ataques repentinos contra postos britânicos. Os britânicos reagiram ateando fogo a fazendas de bôeres e aprisionando milhares deles em campos de concentração (lugares onde se prendiam pessoas que iam contra os interesses do governo ou grupo dominante). Em 1902, a Grã-Bretanha destruiu o exército bôer. O Tratado de Pretória pôs fim à guerra em 31 de maio de 1902.

As repúblicas bôeres então se tornaram colônias britânicas e, em 1910, passaram a ser províncias da chamada União Sul-Africana.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.