A República da Guiné-Bissau (antiga Guiné Portuguesa) fica na costa oeste da África. É um dos países mais pobres do mundo. Sua capital é Bissau. O país tem 1.697.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 36.125 km2.

Geografia

A Guiné-Bissau tem fronteiras com o Senegal ao norte e a Guiné a leste. A oeste, o oceano Atlântico banha suas costas. O território do país inclui também as ilhas Bijagós, a oeste. A Guiné-Bissau é formada por planícies perto da costa, uma planície central e planaltos no nordeste. O clima é quente durante o ano inteiro, com muita chuva por toda a costa.

Flora e fauna

Mangues e palmeiras crescem perto da costa. A planície central tem grandes florestas. Ao norte fica a savana, com pastos e árvores esparsas. As principais espécies animais do país são: crocodilos, serpentes, gazelas, leopardos, hienas, macacos, flamingos e pelicanos.

População

A população da Guiné-Bissau é composta por cerca de vinte grupos étnicos. Os maiores são os balantas (30 por cento) e os fulas (20 por cento), seguidos dos manjacos (14 por cento), dos mandingas (ou malinqués, 13 por cento) e dos pepéis (7 por cento). O português é a língua oficial, mas muitas pessoas falam o crioulo, que é uma mistura de português com línguas africanas. A maior parte da população segue religiões africanas tradicionais ou é muçulmana. Cerca de um terço da população vive nas cidades.

Economia

A economia da Guiné-Bissau depende em grande parte da agricultura. Os maiores cultivos são caju, dendê, arroz, mandioca, batata-doce, coco e algodão. As principais indústrias pertencem aos setores madeireiro e alimentício, especialmente o processamento de pescados. O caju é o mais importante produto de exportação do país. Em 2006, a Guiné-Bissau assinou um acordo com o Brasil para exploração conjunta de petróleo. Em 2010, o país começou a produzir petróleo em parceria com o Senegal.

História

Mais de mil anos atrás, um povo de agricultores já habitava o território que hoje é a Guiné-Bissau. O português Álvaro Fernandes foi o primeiro explorador europeu a chegar à região, em 1446. Logo os portugueses iniciaram o comércio de escravos. Portugal formalizou seu domínio sobre o país inteiro em 1915, formando nela a colônia da Guiné Portuguesa.

O país conquistou sua independência em 1974 e passou a se chamar Guiné-Bissau (para não ser confundido com a vizinha República da Guiné, ex-colônia da França, ou com a Guiné Equatorial, que foi colônia espanhola). De 1980 a 1999, houve um governo militar no país. Entre 1998 e 1999, uma guerra civil obrigou muitas pessoas a fugir. Até hoje o país sofre com a instabilidade política, tendo sofrido diversos golpes de Estado.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.